Categorias
Movimento Negro

Aos 30 anos, Núcleo de Consciência Negra na USP celebra Ibejis

 

Por Núcleo de Consciência Negra na USP

 

O Núcleo de Consciência Negra na USP – NCN, foi fundado em maio de 1987 por servidores técnico-administrativos, docentes e estudantes de graduação e pós-graduação da USP com o objetivo de construir a discussão étnico-racial na Universidade e contribuir com outras entidades negras no combate ao racismo em nossa sociedade. O grupo era vinculado às suas respectivas entidades de classe: a Associação dos Funcionários da USP (atual SINTUSP), a Associação dos Docentes da USP (ADUSP), o Diretório Central dos Estudantes (DCE) e a Associação dos Pós-graduandos da USP (APG). Essas entidades foram fundamentais para o desenvolvimento e a consolidação do NCN nestes anos todos.

Desde a sua fundação o NCN sempre cumpriu um papel agregador entre ativistas que lutam pelos direitos civis da população negra e se apresentando como articulador de um projeto de nação que leve em conta a participação da população negra na elaboração e gestão de políticas públicas. Esta atuação tem se traduzido na realização de atividades de combate ao racismo, através da elaboração e desenvolvimento de projetos políticos e educativos voltados à sociedade em geral e em especial à comunidade negra.

Neste ano de 2017, diversas atividades tem sido realizadas em comemoração aos 30 anos de existência do NCN. A 2a. Semana Ibeji, que será realizada entre 25 e 29 de Setembro é parte das celebrações. Confira e participe!

Mesa de abertura: 30 Anos do Núcleo de Consciência Negra na USP

A segunda semana Ibeji tem início com uma mesa de abertura na segunda feira, às 18h00, no Núcleo de Consciência Negra na USP, em que contará com a presença de Jupiara Castro, militante e fundadora do NCN, do escritor Cuti que fará lançamento de dois livros e e lançamento de dois livros, além da leitura dramática de extratos dos textos por Dirce Couto e Sidney Santiago.

Lançamento dos livros do escritor Cuti: Negrhumus Líricos (poemas) e Tenho Medo de Monólogo & Uma Farsa de Dois Gumes (teatro).

Cuti é o pseudônimo do poeta, escritor, ensaísta e dramaturgo Luiz Silva. Cuti é formado em Letras pela Universidade de São Paulo, fez mestrado e doutorado em Literatura Brasileira pelo Instituto de Estudos da Linguagem – Unicamp (1999-2005); é um dos fundadores e membro do Quilombhoje-Literatura, de 1983 a 1994, e um dos criadores e mantenedores da série Cadernos Negros, de 1978 a 1993. Dono de uma extensa produção acadêmica e literária, Cuti coloca a questão negra no centro de sua produção, além disso, dedica-se ao estudo acadêmico de autores afro-brasileiros como Cruz e Sousa e Lima Barreto.

Sobre a 2a. Semana Ibeji

Esta atividade tem como objetivo reafirmar nosso compromisso com a tradição negra, africana e da diáspora, e com isso nos fortalecer para enfrentar os desafios que vivenciamos cotidianamente.

A tradição Ibeji foi trazida pelos povos Iorubás na memória dos que foram forçados a fazer a travessia do Atlântico. Os Ibejis simbolizam as crianças nesta tradição. Segundo os Iorubás, o zelo pelas crianças é de responsabilidade de todos os membros da comunidade, pois elas simbolizam a continuidade da existência de um povo e como retribuição os Ibejis trazem a alegria pelos que olham por eles. É através dos Ibejis que renovamos as energias, a vitalidade e a disposição para travar lutas e superar desafios.

 

E a programação segue por toda a semana:

 

25 de setembro – 18 horas

Mesa: 30 anos do Núcleo de Consciência Negra na USP

 

26 de setembro – 18 horas

Mesa: Políticas públicas para a população negra infanto juvenil

Esta atividade é voltada para dar voz para a juventude negra com o objetivo de discutir os problemas deste segmento como ensino, lazer, violência policial e quais as perspectivas para o futuro. Afinal, Ibeji é a fase da inocência, da alegria, da construção para o futuro.

 

Dia 27 de setembro

15 horas: Oficina de estética negra com Dete Lima e Catarina Lima

18 horas: Palestra: Dete Lima  e Catarina Lima: Ilê Aiyê e a Afirmação da Negritude

Dete Lima, fundadora e diretora do bloco afro Ilê Aiyê, é responsável pelo figurino do bloco que valoriza as cores e estilos afro-brasileiros. Dete realiza oficinas de formação em estética negra no Brasil e no exterior. Criado em 1º de novembro de 1974, o Ilê foi o primeiro bloco afro do Brasil e hoje constitui um grupo cultural de luta pela valorização e inclusão da população afrodescendente. O Ilê é uma importante referência de lutas e conquistas para a juventude negra.

Catarina Lima é historiadora e faz parte da equipe de educadores do Ilê Aiyê.

Dete Lima e Catarina Lima residem em Salvador, fizeram a abertura da Primeira Semana Ibejie queremos trazê-las para participarem das atividades da Semana Ibeji 2017.

 

Dia 28 de setembro – 18 horas: Cinema Negro. O Cineclube Negro é um coletivo criado por ativistas negros que atuam nas áreas de cinema e fotografia e tem como temática apresentar e discutir a produção cinematográfica negra nacional e internacional.

 

Dia 29 de setembro – 19 horas

Encerramento da Semana Ibeji com Roda de Capoeira e Samba de Roda no Núcleo de Cultura e Extensão em Artes Afro-brasileiras com Contra-mestre Pinguim.

O Núcleo de Cultura e Extensão em Artes Afro-brasileiras propõe-se como espaço interdisciplinar de ensino e pesquisa científica e artística de manifestações que integram o diverso patrimônio cultural afro-brasileiro. As diretrizes de formação deste espaço pressupõem a indissociabilidade entre pesquisa, ensino e extensão com ênfase em metodologias de aplicações corporais nas práticas de capoeira, maculelê, dança afro, samba de roda, percussão e musicalidade e artes dramáticas. A prática educativa do Núcleo se vale da transmissão oral do conhecimento, comum em sociedades africanas antigas, para a preservação e divulgação de artes performáticas afro-brasileiras que constituem patrimônio artístico-cultural imaterial do Brasil.

 

Propaganda Social 

Colabore com as mulheres empreendedoras da Uneafro-Brasil

 

                  

Vista-se em luta!

A UNEafro-Brasil, reinaugura sua loja de camisetas e artigos de reverência à luta do povo negro brasileiro!

Além de se vestir com as imagens e cores de nossa resistência, você estará contribuindo para manter financeiramente um movimento de luta, autônomo e independente!

Todos os produtos são confeccionados pelas mulheres que fazem parte do Núcleo de Economia Solidária Das Pretas da UNEafro.

Colabore! Escolha o seu manto afro e junte-se a nós!

FAÇA SEU PEDIDO AQUI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code