Categorias
Mobilização

Artistas e movimentos lançam vídeo-manifesto contra violência policial em SP

POR QUE O SENHOR ATIROU EM MIM?

Por Douglas Belchior

Dexter, Emicida, GOG, KL Jay, Flora Matos, Bax BO, entre outros, juntam-se a movimentos negros e sociais para denunciar o racismo e a violência policial

Participe do ATO pelo fim do genocídio da juventude negra e pobre e pela desmilitarização da polícia. Compartilhe o evento do facebook

AS VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA NO BRASIL TEM COR E ENDEREÇO: SÃO MAJORITARIAMENTE NEGROS, JOVENS, DE PERIFERIA

Em 2010, no Brasil, 49.932 pessoas foram vítimas de homicídio e 70,6% das vítimas eram negras. Desses quase 50 mil assassinados, 53,5% eram jovens de 15 a 29 anos e 74,6% dos jovens assassinados eram negros.

Só na cidade de São Paulo, 624 jovens foram vítimas de homicídio em 2011, 57% dos jovens assassinados eram negros e 98% das vítimas eram homens.

Os números de homicídios no Brasil são equivalentes a números de guerra. E se verificados a partir da variável racial, é possível afirmar que presenciamos um genocídio negro no Brasil.

A VIOLÊNCIA TAMBÉM TEM ORIGEM: A POLÍCIA

Em 2012, 1890 pessoas foram mortas pela polícia no Brasil, uma média de 5 mortes por dia.

A PM paulista mata mais que a polícia de todo os EUA.

70,1% da população não confia no trabalho das diversas polícias no Brasil.

Com o atual modelo de segurança pública, os estados gastam muito e de forma ineficiente. Investimentos mal planejados, duplicidade de funções e carreiras mal estruturadas compõem um quadro de crise da política de segurança pública no País e em São Paulo.

O INIMIGO É O OUTRO

A Polícia Militar é uma herança da ditadura militar.

A cultura militar traz consigo a ideia da guerra e de inimigo. Mas quem é o inimigo da policia, afinal?

A Polícia Militar age politicamente e perpetua a lógica que privilegia e protege a mesma elite que a criou há 400 anos. Preserva o patrimônio dos ricos e declara guerra aos pobres!

Só em São Paulo, em 2012, 546 pessoas foram mortas em decorrência de confronto com a Polícia Militar.

A MORTE DO JOVEM DOUGLAS

O jovem Douglas é apenas mais uma vítima. Levou um tiro “por acidente”. A tentativa da PM é enquadrar o caso como homicídio culposo, quando não há intenção de matar, e diminuir a pena do policial. Contudo, há indícios claros que os procedimentos operacionais padrões foram desrespeitados e nesse caso é preciso que o caso seja considerado homícídio doloso, com intenção de matar, e que o PM seja punido com rigor. Não apenas o policial precisa ser punido, mas o Secretário de Segurança Pública e o Governador do Estado de São Paulo precisam ser responsabilizados, pois se trata de uma política de estado operada pelo seu braço armado.

Ao ser atingido, Douglas perguntou: “Por que o senhor atirou em mim”? E pensamos, por quê? Por que vocês atiram em nós? O chefe de estado faz a política, a direção ordena, o comando treina e a tropa obedece. Até quando?

PELA APROVAÇÃO DO PL 4771/2012

Em 2011, o número de mortes classificadas por autos de resistência apenas no Rio e em São Paulo foi 42,16% maior do que todas as execuções promovidas por 20 países em que há pena de morte.

O registro dos “Autos de Resistência” (morte em confronto com a polícia) com o objetivo de maquiar homicídios cometidos por policiais civis e militares é uma prática comum, conhecida e amplamente utilizada pelos serviços de segurança pública em todo o Brasil. Em tramitação em Brasília, o PL 4471/12 pode significar o fim da ‘licença para matar’, pois prevê a investigação das mortes e lesões corporais cometidas por policiais durante o trabalho. É um enorme avanço, mas não é o suficiente, já que os crimes serão investigados pela própria polícia!

PELA DESMILITARIZAÇÃO DA POLÍCIA:

Hoje, os militares não respondem como civis. Se cometem crimes, eles são submetidos a um tribunal especial, o Tribunal Militar.

A polícia brasileira é repressora e violenta. É uma instituição que cerceia direitos dos cidadãos – entre eles, o direito a circular e viver a cidade, e o direito à própria vida!

Uma polícia diferente é possível! Uma polícia democrática deve ser cidadã e garantir direitos!

E os próprios policiais concordam: 70% dos soldados, cabos, sargentos e subtenentes da Polícia Militar são a favor da desmilitarização. Entre os oficiais, 54% são a favor de transformações do modelo atual.

PELO FIM DO GENOCÍDIO DA JUVENTUDE NEGRA E DE PERIFERIA! A FAVOR DA DESMILITARIZAÇÃO DA POLÍCIA – PORQUE O ESTADO NÃO PODE CONTINUAR MATANDO NOSSOS JOVENS!

Participam desta campanha:

Todos os artistas que gravaram voluntariamente

Mães de Maio

UNEAFRO – Brasil

Articulação Política das Juventudes Negras

Levante Popular da Juventude

Coletivo Arrua

Marcha Mundial de Mulheres

Quilombaque

Círculo Palmarino

Fórum em defesa da vida – Zona Sul

Comunidade Santos Mártires

TV Doc Capão

Associação Frida Kahlo

Instituto Brasileiro de Aliança Socio Ambiental

Projeto Batukai

Rede Ecumênica da Juventude

Bocada Forte Hip Hop

Campanha Eu Pareço Suspeito?

 

1459093_1406486776253282_564421266_n

 

 

26 respostas em “Artistas e movimentos lançam vídeo-manifesto contra violência policial em SP”

Poetas! Adoram colocar a sociedade contra a Polícia. Em matérias tendenciosas como esta nunca se comenta quanto ao número de policiais mortos, porcentagens de militares estaduais vítimas. Por que não acrescentaram um PM na cadeira de rodas, como existem inúmeros casos, para fazer a mesma pergunta? Se o meu filho de 6 anos soubesse ler e lesse esta matéria, ele iria achar que tem um pai matador e criminoso. Poetas…………….

Caro Cleonardo. Não se trata de querer colocar a sociedade contra a INSTITUIÇÃO Polícia Militar. Trata-se de quantificar as vítimas de homicídio no país. Quando se colocam os dados em tabelas e começamos a analisar as informações vemos que os números são completamente alarmantes. A população brasileira é composta por diversas raças, somos um povo multi-étnico, onde praticamente quase metade da população é branca e quase a outra metade é preta/parda. Só que quem sofre violência policial em 70% dos casos são os negros, pobres e periféricos. Você não acha muito estranho essa raça em específico e pessoas pobres especificamente serem as maiores vítimas? Não sou negro e nem pobre, mas me sinto acuado e assustado com tais dados. Que o país vive (e sempre viveu) uma gigante desigualdade social isso todos sabem, só que essa desigualdade social está atingindo outros níveis. Como se já não bastasse uma pessoa preta e pobre enfrentar grandes dificuldades para crescer na vida, ele também tem um alvo nas costas onde pode tomar um tiro a qualquer momento, seja de bandido, seja de policial.
Não queira se passar como vítima, só por ser policial. Todos sabem também as dificuldades que PMs passam, mas nem de longe se compara com o genocídio negro que estamos passando.
Se seu filho soubesse ler e lesse essa matéria, ele deveria achar que o pai é o que o senhor passa pra ele, não o que a matéria diz. Se você é honesto, pacífico, justo e transparente não tem porque ele achar que o senhor é um assassino. Agora querer vir diminuir um movimento JUSTO é muita sacanagem da sua parte. A mudança deveria começar no senhor e seus colegas, mas ao invés disso continua alimentando essa guerra (não) declarada contra a população preta e pobre.

Só você pensa isso, deve ser um policial desfarçado que fica aqui no site da carta capital querendo desclassificar as matérias.

Isso que você está falando é uma GRANDE mentira ideológica. O número de policiais mortos( em serviço ou executado) na cidade de são paulo, é muuuuito menor do que as vítimas mortas por “resistência a prisão seguida de morte” por exemplo, sem contar as execuções não investigadas atribuídas a “divida de drogas e afins”.

Pois bem, procure esse numero documentado na secretaria de segurança pública(temos documentos comprovando isso), procure a época de novembro de 2012, você vai constatar que o numero de policiais mortos não passou de 70 ao passo que o numero de jovens mortos “em confronto com a polícia (fora as chacinas que não são investigadas, mas temos certezas que são executadas por grupos de extermínio composto por policias da Roda e da Força Tática). Fora as chacinas, só os números que constam na SSP foram mais de 900 jovens pobres em maioria negros mortos em um período de 3 meses. É 10 vezes maior o numero de jovens mortos (em maioria menor de idade).

Essa informação que você Cleonardo escreveu é uma informação mentirosa e apelativa, apela para que apoiem o genocídio do povo, soa como um policial em seu apartamento no condomínio de classe media, apelando pela morte de jovens de periferia. Só que o que você esquece, eh que a grande maioria dos brasileiros mora na periferia e tem algum amigo de infância ou um irmão um parente que morreu na mão da polícia racista.

O povo não dorme no seu barulho! Não adianta vim com moralismo porque essa não cola mais.

O verdadeiro bandido usa terno e gravata.

Cleonardo, Olá! Entendo perfeitamente o que quer dizer, e as reais premissas dos Direitos Humanos dizem respeito a todo ser humano, seja ele civil, militar, policial ou não policial. Essa demanda que hoje ganhou tanta força ocorre faz muito tempo. Digo isso por conhecimento de causa. Moro em bairro pobre. No meu próprio bairro, principalmente em determinados pontos, há muita violência. Violência de qualquer parte. Tenho amigos Policiais Militares e Policiais Civis. Da mesma forma, tenho amigos, principalmente negros, que já sofreram enquadros violentos e desnecessários. Outros, com quem não tive amizade mas conhecia de longe, morreram. Amigos meus testemunharam batalhões de elite “limpando” uma área do bairro vizinho, fuzilando “os nóias” no paredão, pois provavelmente “eram malas”. Da mesma forma que aqui o espaço foi utilizado para clamar pelos que morrem anonimamente, do lado do povo comum da periferia, que façam espaços para os policiais mortos. Morte alguma é boa, mas, o fato de não citar os policiais que tombaram,nesse espaço, não diminui o quanto isso é ruim. Por outro lado, não podemos continuar a fingir que morrem tantos jovens, principalmente negros em nosso país. Abraços, meu amigo!

A policia militar é um orgão do governo do Estado, pago pelo povo para protegê-lo e dar segurança. Para isso, o estado fornece ao policial uma série de armas de ataque e defesa: revolver, munição, capacetes, escudos, viaturas, rotans, rádios, serviço de inteligência digital, helicópteros, cães, bombas de gás , balas de borracha, coturnos, coletes a prova de balas e todo um aparato bélico…

Todas essas armas de ataque e defesa devem ser usadas para o devido serviço de proteção aos cidadãos, e não para agredí-lo.

Mas, infelizmente as estatísticas não apontam nesse sentido.

A polícia anda agredindo muitíssimo mais do que protegendo.

E é por esse motivo que hoje a sociedade pede a desmilitarização da polícia.

E quem não se convenceu ainda dessa realidade, precisa conhecer como é que funciona o policiamento em paises mais desenvolvidos que o nosso, onde a policia cumpre de forma cidadã o seu papel na sociedade.

Dr. Francisco Pereira (editor da REVISTA ARTIGO 5)

Para de chorar pé preto, a midia defendecvocêis muito bem, evoceis vem martando a vontade no Brasil, tiveram 20 anos de ditadurta para estuplar, roubar e matar e ninguem foi julgado por isso, agora que alguns tem coragem de denunciar o sadismo e a criminalidade da sua classe escrota, você aparece aqui pra chorar e falar merda. E ainda usa covardemente o filhinho pra defender uma corja assacina, eu sou a favor da desmilitarização da policia, lugar de militar é no quartel esperando guerra ou dando o rabo pros EV.

Caro Cleonardo
Não entendo o vídeo como uma tentativa de colocar a população contra a policia, entretanto como uma forma de denunciar fatos, que os números oficiais expressam. Sei que na corporação existem policiais bem intencionados, mas ao olharmos os índices nos questionamos se segurança publica se constrói com corpos amontoados no chão? Quantos policiais morreram nos últimos 12 meses?(E não se trata aqui de querer vê-los mortos, mas de comparar índices). Quando escuto declarações do governador e de seus representantes referente à segurança publica, tenho certeza que os policiais bem intencionados sucumbem ao despreparo e desinteresse que começa a partir do alto comando. Enquanto a logica da segurança publica for de aumento dos indicies de vitimas de arma de fogo nas periferias, campanhas como essa serão sempre necessárias.

Sinto que as pessoas criticam muito ao invés de querer entender a verdadeira história. Sempre morei em periferia e infelizmente nunca tive bons exemplos de policias. Sinto que em tudo na vida temos diversos lados das situações e precisamos sair da Matrix e entender os verdadeiros fatos. Para mim esse vídeo tem muito o que dizer, pois o Policial deveria cumprir com seu papel, na verdade nos oprimi e não passam confiança. Hoje o que prevalece é o dinheiro, independente de suas circunstâncias. O que o nosso pais precisa é de educação, cultura, conhecimento desde de criança, e ainda tenho esperança em dias melhores!
Estamos na luta e não vamos desistir!

Falou tudo, Jana! Sempre morei em bairro pobre. Não tão pobre onde haja tanta violência, mas pobre o bastante para perceber como somos atendidos pela polícia. Uma reclamação de barulho é relegada ao descaso; um caso de “suspeita de roubo” e chovem viaturas com “justiceiros” com o dedo coçando para atirar. Que me perdoem os policiais que acreditam na causa que a instituição deveria defender. Tenho amigos assim, sei como é. Mas hoje enxergo como o Estado enxerga o povo mais pobre, principalmente jovens negros. Como você, acredito em dias melhores. E não vamos nos calar diante dessa situação. Se morrermos, que seja com nossa consciência. Abraços!

É incrível como esses “movimentos” só se preocupam com SP, que é justamente o estado que mais reduziu o número de homicídios de 2002 a 2012, e o que menos mata por 100mil habitantes do Brasil.
Aliás, a Bahia, maior contingente afrodescendente fora da África no mundo, está no top 5 dentre os 27 estados, matando mais que o triplo de SP, e ninguém se solidariza ou fica indignado… Curioso!
http://oglobo.globo.com/infograficos/taxa-de-homicidio-estados/

Muito boa essa fundamental denuncia, mas a pergunta tem que se ampliar.

Só a PM mesmo que precisa ser desmilitarizada?

Em cinco anos o número de armas de fogo vendidas no Brasil aumentou 70% desde a aprovação do comércio de armas em um referendo nacional, realizado em 2005. Hoje esse número deve ter dobrado.

Não assisti ao video (desculpem, estou com baixa velocidade. O farei depois). Mas, considero igualmente o texto, em importância e poder informativo. Isto é uma realidade. Fiquei muito feliz em saber que a grande maioria dos policiais é favorável às mudanças propostas pelos movimentos. Deu-me esperança. Infelizmente, pra quem mora na periferia como eu (sou de Itaquera), ressalta aos olhos a atuação dos maus policiais. Convém dizer, portanto, que, da mesma forma que a cidadania como um todo, os membros da corporação que discordam da atual política de segurança pública devam se sentir terrivelmente massacrados, tanto pelas falhas legais e institucionais que o impedem de agir de forma efetiva contra o VERDADEIRO crime, seja nas ruas ou nos gabinetes, como pelo fato de, ao se depararem de forma consciente com as limitações que lhe são impostas, colocam sua própria cabeça à prêmio, sob o jugo da força bruta aplicada pelos agentes que, indubitavelmente, se beneficiam das falhas institucionais e brechas legais pra fazerem do próprio cargo e do poder que este lhe confere, moeda de troca entre o crime e o Estado. Falo da corrupção (no atacado e no varejo) de agentes policiais como principal efeito colateral deste sistema e, por outro lado, combustível para a máquina de opressão e violência institucional que atinge a todos. Se os próprios policiais estão fartos desta situação terrível e, aos poucos decidem se manifestar, que dirão os milhares de cidadãos atingidos diretamente pela violência ditatorial da ala corrupta do sistema policial, cuja ação violenta não tem por outro objetivo, acobertar sua relação escusa com as organizações criminosas, através da falácia de que ‘bandido bom é bandido morto”. Bandido? Quem é o bandido desta história? Com certeza não é o Douglas, nem a legião de jovens e adolescentes pretos, mortos apenas como forma de mostrar serviço, sob uma lógica policial embasada na máxima proverbial do “rouba-mas-faz”. Esta, sim, é uma herança da ditadura a qual temos de acabar. Peço ao policial que se apresenta como Cleonardo que não se ofenda diante da realidade dos fatos. Quem denigre a instituição não é quem denuncia erros ou pede mudanças. É quem as torna necessárias, agindo contra os princípios pregados pela própria instituição e, por conseguinte, agindo contra os fins reais para os quais ela se destina. Peço que seja consciente e se una aos mais de 70% de policiais que também esperam estas mudanças. Desculpe-me por ser extenso.

daqui a pouco essa justica brasileira IMORAL vai deixar o povao esquecer e colocar esse racista de farda de novo nas ruas ate porque o tal “presidio” romao gomes e na verdade um “hotel” onde essa cambada vai passar ferias

No Brasil como diz o texto 49.932 morrem por homicídio, mas se 3,78% ocorre em confronto com a policia, e outros 96,22%? Por somente a culpa na policia parece algo totalmente errôneo. Por isso o povo não acredita nesses denominados “movimentos sociais” que distorcem dados para justificarem seu lobby

É incorreto julgar uma instituição pelo mau uso que se faz dela. Acredito que os números estão corretos mas, o policial só puxa o gatilho. Ele é mau preparado para atuar em situações de risco e, desta forma vê um inimigo em cada cidadão. Numa abordagem ele não sabe o que vai achar pela frente e, ao menor sinal de perigo prefere matar a morrer. É bom citar também que é moda atacar policiais. Eles apanham de torcidas, de manifestantes, de baderneiros e ninguém paga por isso. Um ataque a um policial é um ataque direto ao Estado mas, o próprio Estado abandona o policial. Neste pais, as leis que protegem o lucro e o patrimônio são muito mais rígidas e implacáveis do que as que se referem a vida e a dignidade. Podemos sim ter uma polícia melhor mas, quanto disso depende da própria polícia?

Bobagem pura são os mais hipócritas, eu confesso tenho uma dificuldade absurda de gostar da arte deles por mais que eu reconheça que seja arte, não sei porque, como nenhuma pergunta pode ficar sem reposta, porque o senhor atirou em mim?

A resposta é um tanto quanto irônica, o policial responde, porque o senhor atirou em mim?

Convenhamos em um país onde temos 50000 mortos por ano e cerca de 2% desses mortos possuem relação com a polícia sendo que destes 2% muitos são justificados como na legitima defesa ou em estrito cumprimento do dever legal é um tanto quanto estranho esquecer 98% dos homicídios brasileiros para viver reclamando de 2%, a polícia brasileira é extremamente cordial diante da realidade que ela enfrenta.

Infelizmente no caso do jovem em questão penso que foi acidente e culpa do Governo Paulista que não mandou trocar as pistolas que vieram com defeito. Mas não podemos fechar os olhos para atitudes de policiais Militares nas periferias, pois temos duas policias a da periferia e dos jardins. A primeira é grossa, matadora e sem apoio do governador, cada um faz o que quer, alias tem CIA onde cabos mandam em tenentes e capitães, ja a segunda é legalista e cordata. Na periferia fazem os jovens comer maconha, tomam celulares e batem só pelo prazer de bater.
Óbvio que a Policia Civil não é citada, pois não fazem nada ou muito pouco e nem atender direito e com respeito nas delegacias sabem, a não ser que você esteja de terno e com um advogado a tiracolo. Sem esquecer que o PM prende alguns malas perigosos, ficam horas na delegacia para terminar o fragante e no outro dia encontram o miliante nas ruas. Pra terminar digo que qualquer tipo de policia sem governo sério será igual ou pior.

prefiro nao opinar nesse assunto,pois nao adianta a sociedade ficar se degladiando.quando na verdade e essa divergencia de opiniao e a que manten o brasil nesta situaçao a quinhentos anos.

Comecei a ler, e por minutos pensei estar lendo um material de extrema direita, algo meio global.
Percebi dados que se cruzados se mostrariam maquiados e manipulados, mas quem disse que tem que ser imparcial e honesto? A segurança publica precisa sim de uma reforma, assim também como toda a sociedade e seus veículos de comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code