Categorias
Education

DE SÃO GONÇALO À COLUMBIA, A INSPIRADORA JORNADA DE UM TEÓLOGO NEGRO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ronilso Pacheco nasceu em São Gonçalo, e foi criado no bairro do Porto da Pedra, hoje conhecido por conta da escola de samba que leva o nome do bairro. Sua história se assemelha e se aproxima de muitos jovens das periferias, cujas trajetórias rumo a metas e sonhos na vida pessoal são marcadas por adversidades, condições precárias e falta de oportunidades. Mas sem desistir, em 2018, Ronilso concluiu a graduação em Teologia na PUC-Rio, já como um “teólogo formado” e ativista reconhecido, com artigos publicados em revistas acadêmicas importantes nacional e internacionalmente.

Em 2019, Ronilso Pacheco foi aprovado para o mestrado no Union Theological Seminary, instituição afiliada a Universidade de Columbia, localizado em Nova Iorque e que transita há séculos entre as cinco universidades mais importantes e prestigiadas do mundo juntamente com Harvard, Princeton e outras. A aprovação para o mestrado levou Ronilso Pacheco a iniciar uma campanha de financiamento coletivo no site da Benfeitoria, que pode ser acessada Clicando Aqui

A campanha de arrecadação termina no próximo dia 20 de junho de 2019, e a necessidade de bater a meta levou a uma grande mobilização, para conseguir o que muitos consideram, em especial entre integrantes de movimento negro, religiosos e intelectuais negros, como uma conquista coletiva e necessária. Nas palavras do professor Silvio Almeida, da USP e Mackenzie e autor do livro “Racismo Estrutural”, Ronilso tem sido fundamental na resistência dentro das igrejas evangélicas, com uma visão anti-fundamentalista da religião, que dialoga com os direitos humanos e com a luta antirracista. A campanha traz como principal recompensa o terceiro livro de Ronilso Pacheco, “Teologia Negra – O sopro antirracista do Espírito”. O livro é uma introdução pioneira no Brasil sobre o que é a Teologia Negra e sua relação com séculos de história do povo negro que tinha na bíblia a inspiração para resistir às violências sofridas e derrubar a escravidão e lutar pela própria liberdade.

A escolha pelo Union Theological Seminary não é à toa. Este seminário é considerado o mais importante para a comunidade negra e as igrejas negras nos Estados Unidos. O seminário tem episódios antológicos com diversas passagens do pastor Martin Luther King por lá, e um dos mais conhecidos professores da instituição, o teólogo James Cone, falecido em 2018, é considerado “o pai” da Teologia Negra nos Estados Unidos. Cone, aliás, além de ser uma das grandes inspirações para Ronilso Pacheco (assim como Luther King), foi entrevistado por ele em abril de 2017, conforme conferido aqui. Em duas ocasiões, Ronilso experimentou a oportunidade de ser convidado a falar nos Estados Unidos, pelo interesse por seu trabalho que une teologia negra, igreja e a luta antirracista e contra a violência no Brasil. Em 2018, participou de uma mesa em Harvard em abril, e em Novembro voltou, desta vez para Princeton, onde falou na mesa do instituto Brazil Lab, sobre a influência da religião no debate político das eleições no Brasil.  Estas idas foram marcadas por encontros memoráveis, entre eles, com o filósofo Cornel West.

 

 

 

 

 

 

O primeiro livro do teólogo e pastor foi lançado em 2016, “Ocupar, Resistir, Subverter: igreja e teologia em tempos de racismo, violência e opressão”, é uma coletânea de artigos, em que articulou reflexões sobre a bíblia e questões sociais, como a luta contra as remoções de famílias no Rio de Janeiro e o protagonismo dos estudantes nas ocupações das escolas. Em 2018 ele foi o organizador do livro “Jesus e os Direitos Humanos”, que, em um momento político marcado por fundamentalismos religiosos no Brasil, acabou se tornando uma verdadeira ferramenta de instrução tanto para igrejas que queriam conhecer melhor sobre a relação entre a bíblia e os Direitos Humanos, quanto para pessoas de fora da igreja entender que o campo evangélico é diverso.

Movido por esta inspiração de fé e de amor engajado, que tem unido a mensagem de Jesus com uma luta baseada na esperança, na liberdade e no compromisso com a transformação, Ronilso Pacheco tem sido um sopro de alento. O apoio à sua campanha tem crescido nesta reta final e tem sido encarada como um investimento coletivo em tornar vozes potentes como a sua tendo maior alcance, diversificando o debate e reverberando em espaços de forte impacto e visibilidade. Em momentos como o que temos vivenciado no Brasil, e presenciado ocorrer no mundo, ver alguém percorrendo, na ideia e nos espaços, os caminhos por onde Martin Luther King também percorreu, anima bastante.