Categorias
racismo

Dilma, racismo e a força das palavras

3ª Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial: Presidenta propõe COTAS no serviço público e fala em genocídio da juventude negra

Por Douglas Belchior

 

A presidenta Dilma Rousseff abriu nesta terça feira (5/11) a 3ª Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial. O encontro reúne, até quinta-feira (7), 1.400 representantes de todos os estados e do Distrito Federal para debater as políticas de enfrentamento ao racismo e de promoção da igualdade. A presidenta anunciou, entre outras iniciativas, o envio ao Congresso Nacional do projeto de lei, em caráter de urgência constitucional, que destina 20% das vagas em concursos públicos federais para negros: “Nós queremos, com essa medida, iniciar a mudança na composição racial dos servidores da administração pública federal, tornando-a representativa da composição da população brasileira”.

A presidenta foi interrompida diversas vezes pelas palmas do plenário e ao final de seu discurso foi delirantemente ovacionada pelos mais de mil delegados da Conferência. Nenhuma novidade, afinal a maioria dos representantes da sociedade civil são partícipes ou simpatizantes de estruturas partidárias, sindicais ou governamentais ligadas ao PT, PCdoB, partidos e governos aliados.

Bem assessorada, Dilma escolheu as palavras certas para dizer e muito embora não tenha anunciado nada de estruturalmente significativo para o combate ao racismo ou à promoção de uma reparação de fato, apresentou uma pauta que segue o ritmo das políticas compensatórias características do governo petista. Mas há de se respeitar afinal, em uma sociedade marcadamente racista como a nossa, mesmo políticas superficiais no tocante à igualdade racial provocam grande reação conservadora, o que acaba por emprestar uma roupa mais “radical” à iniciativa.

Mais que as propostas anunciadas, duas declarações da presidenta me chamaram a atenção: quando disse que “A sociedade brasileira tem que arcar com as consequências do longo período escravocrata” e quando disse que o governo apoiará o Plano Juventude Viva no sentido de combater “o que vem sendo classificado de genocídio da juventude negra.”

As palavras tem poder, presidenta! Arcar com as consequências da escravidão requer de seu governo – e dos futuros, posturas que nenhum outro teve coragem ou interesse em promover. Um bom início de conversa tem relação com sua segunda afirmação: reconhecer o genocídio da juventude negra como ação promovida pelo estado brasileiro. E combatê-lo de fato. O que é bem diferente de dizer que os assassinatos assim “vêm sendo classificado”. E você Dilma, como você enquanto presidenta classifica o assassinato de centenas de jovens negros pelas polícias e milícias em todo país?

Arcar com as consequências da escravidão passa por reordenar as forças produtivas e econômicas do país. Passa, por exemplo, por inverter a lógica da posse da terra e garantir a titulação dos territórios indígenas e quilombolas. Passa por efetivar a tão protelada reforma agrária ou, em outras palavras, acabar com a força do agronegócio e investir em uma agricultura familiar e socialmente comprometida.

E poderíamos seguir: E quanto aos bancos e seus lucros exorbitantes? E quanto ao setor empresarial privado e seu poder de mando? E quanto aos meios de comunicação? E quanto às mega construtoras e às corporações internacionais? E quanto à taxação das grandes fortunas? E quanto à qualidade da escola pública brasileira, em todos os níveis, à aplicação da Lei 10639 e o acesso às universidades de ponta? E quanto ao modelo de segurança pública?

Arcar com as consequências da escravidão, presidenta, significa colocar xeque os pilares de sustentação do modelo econômico vigente, tudo que o cerca e o alimenta. Mas você está certa. A sociedade brasileira nos deve isso. Como você pensa em começar quitar essa dívida?

A grande responsabilidade das delegações e de seus grupos políticos nessa conferência é fundamentalmente cobrar do estado a atenção e a importância que o tema merece. Serão capazes de abstrair de seus compromissos políticos partidários, cobrar e denunciar o “seu governo” e o Estado? É o que veremos!

 

fotopub2

40 respostas em “Dilma, racismo e a força das palavras”

Cotas raciais nos concursos é fundamental e está atrasada com certeza, é necessário sim ações afirmativas para os negros terem representatividade no serviço público (pra quem trabalha como servidor sabe a disparidade racial, e que negros nas instituições quase sempre estão apenas nos serviços terceirizados de limpeza, segurança). Pena o deslize nas palavras, certamente proposital para desqualificar o genocídio negro.

Cotas raciais para concursos públicos ou faculdade é o mesmo que separar as raças, dizer que o negro não tem capacidade de conseguir tal objetivo por que nasceu negro. Esse é o pior racismo que existe, a separação. Eu me envergonho disso. Acho sim que o negro tem que entrar no funcionarismo público sim, entrar na faculdade, mas por seu méritos, por suas conquistas, e não por uma cota de 20%. Haja vista que todo órgão público terá 20% de negros, nada mais. Acho que o certo é ter cotas para pessoas carentes, seja elas brancas, negras, pardas. Pessoas que precisam de estrutura para subir na vida, sejam elas brancas, negras, pardas. Estou imensamente envergonhado com isso.

Exatamente. É isso que eu acho. Sou negro e, na minha família, têm pessoas negras que conseguiram ir pra frente com seu esforço, e não por causa de cotas imbecis e discriminatórias para ambas as raças: branca e negra( pretos e pardos). De fato, essa nossa presidente é louca e não entende nada da sociedade onde vive. Acredito que seja apenas uma “jogada de marketing” para as eleições do ano que vem.

Concordo totalmente, quem defende essa cotas também afirma a incapacidade que tem de competir com outras cores, além de querer se beneficiar da historia escravista da qual os mais pobres nenhuma culpa tem, querem pedir a conta pelos erros cometidos pelos barões e coronéis do passado? cobrem deles e não de quem sequer tinha terras pra plantar e quando conseguiram não usaram de escravos pra conseguir com o suor do seu trabalho o que tem hoje, sou filho de imigrantes e não tenho uma condição privilegiada, então estarei sendo discriminado por ser branco e não negro? daqui a 10 anos então vou querer que meus filhos sejam reparados por que os negros estão sendo beneficiados agora e por isso talvez eu não tenha conseguido uma vaga num concurso por esse motivo. Esta medida é eleitoreira e quem se vangloria desta “conquista” é por que tem preguiça de estudar e concorrer igualmente para um concurso e quer se beneficiar deste artificio em detrimento dos demais.

Querem passar em concurso público? Vão estudar rebanho de “negros” de vagabundos e preguiçosos. Vocês estão querendo passar em concurso no mole, né? Essa cota é um absurdo! Isso é apenas uma medida eleitoreira de Dilma.

Eu não tenho dívida nenhuma com essa laia de negros. A liberdade de vocês já foi dada há mais de 100 anos atrás. Por isso levante essa bunda negra preguiçosa de vocês e enfrenta a vida! Parem de reclamar! Se moram em favelas é porque são preguiçosos e não querem trabalhar. Se não passam em vestibular e em concurso é por que não estudam.

Vocês negros só querem roubar e fuder. Tá aí uma coisa de preto, ou melhor, de preta que presta: A BUCETA. Buceta de nêga é gostosa pra caralho… hehehehe

Preto no Brasil só devia ter direito a três P’S: Pano, Pica e Porrada!
Aí que saudade do tempo do Tronco, da Chibata e da Senzala!!

Pedro de Bragança… “Aí que saudade do tempo do Tronco, da Chibata e da Senzala!!”

Rapaz quanta burrice e preconceito em um comentário só! Perdeu a oportunidade de ler e calar a boca, em vez de falar tanta estupidez…

Quer um conselho? Se não quer, lerá do mesmo jeito certo?!
Vá ao Museu Afro Brasil, terá um banho de cultura e se orgulhará de fazer parte de uma sociedade diversificada, que suou e sofreu para construir o que temos hoje! Conheça, leia, e tenha um pouco mais de compaixão e conhecimento perante ao seu próximo…

Garanto que é bem melhor do que ficar sentado com a sua bunda ‘branca’ aí… alimentando sua alienação… 😉

COTA NÃO É PANACÉIA!
É impressionante como entra governo, sai governo, e o imediatismo, o populismo, o paternalismo e a demagogia são sempre marcas dos governantes. Esse monte de cotas serve para tapar o Sol com o peneira. Daqui há alguns anos teremos mais negros e índios no serviço público, e aposto que o presidente(a) dirá que isto é um reflexo dos investimentos na educação pública, etc… O país precisa de melhores serviços públicos de educação, transporte, saúde. E mais oportunidades de emprego e lazer. E esse Brasil melhorado NÃO PODE ser construído à base de cotas! Vai ter cota pra plano de saúde com desconto? Vai ter cota pra compra de veículos particulares com desconto? Vai ter cota pras escolas particulares? Os negros podem e MERECEM conquistar seu espaço por seus próprios méritos. Há 50 anos não era comum ver apresentadores de TV, Desembargadores ou Ministros do STF, protagonistas de novelas, médico e engenheiros, negros. Mas hoje ninguém se espanta quando os vê nessas posições. E eles não precisaram de cota alguma para alcançar seus postos. Cota SÓCIO-ECONÔMICA é compreesível, mas RACIAL não!! Sou a favor de ensino de qualidade para todos, só a educação pode mudar os rumos do país. Enquanto o Brasil for o país do samba e do futebol, o espaço da população negra na sociedade continuará sendo o mesmo…
P.S.: espero ler alguns contrapontos, poi não sou nem me proponho a ser o dono da verdade. Cordialmente, Mário Augusto.

A retórica acerca da educação como panaceia para tudo que de negativo os quase quatro séculos de escravidão produziu em nossa sociedade, é própria dos incautos que de educação nada entendem e da velha direita que tudo entende de educação para a perpetuação de seu domínio. Aliás manifestações contrárias a toda e qualquer forma de ações públicas afirmativas é, em si, o traço ideológico herdado do criminoso sistema socieconômico escravocrata ainda cultuado entre grupos, segmentos de classes fútil, parasitária, que se querem “pós-modernos” – se é que isso quer dizer alguma coisa – porém com bestunto medieval.

preguiça de responder a sério agora, mas, pra começar, cotas exclusivamente sócio-econômicas não cumpririam todos os seus objetivos. O problema é que aqui no Brasil ainda conseguiram piorar algo que já não é aceito amplamente lá fora, ao se usar esses eufemismos de “cor”. Cotas sócio-econômicas cumpririam sua função principal e enfrentariam menor oposição dos setores dominantes da sociedade (i.e. você e os outros que comentaram aqui), mas não cumpriria em sua totalidade a função de correção de injustiças históricas em nossa sociedade. Muitas pessoas fenotipicamente indígenas (“pardas”) ou afro-brasileiras (“negras”) tendem a não se considerar ou se identificar com esses grupos em nosso país, por inúmeros motivos que eu não vou citar aqui agora. De todo modo, a cruz que o Estado brasileiro carrega, você querendo ou não, É para com estes grupos. Foram escravizados e humilhados por centenas de anos. É um dever moral do Estado repará-los, especialmente os indígenas. Afinal, cuidaram da terra em que pisamos por 50 mil anos, ensinaram tudo o que os europeus precisavam saber sobre ela, e ainda assim sofreram com escravidão e genocídios que ocorreram e ocorrem até hoje(!!). O dever não é para com os pobres, é para com os índios, africanos e seus descendentes. Simples assim. Os demais têm inúmeros outros modos de conseguir outros tipos de assistência, também prestadas pelo Estado, se precisarem.

Todavia, o senhor tem razão. A implementação das cotas seria tão incrivelmente mais fácil se fosse realizada de modo não-étnico. Isso você entendeu. Mas agora entenda o motivo dessa dificuldade: Pessoas como o senhor, incapazes de entender todos esses séculos de sofrimento e opressão para com todas essas ETNIAS. Pouco importa se achas correto ou não, justo ou não, é algo que deve ser feito por parte do Estado. Sofreram sob o mesmo e nunca haviam recebido reparação ou amparação até muito recentemente, em nossa história política.

“Enquanto o Brasil for o país do samba e do futebol, o espaço da população negra na sociedade continuará sendo o mesmo…”

Ressaltando aqui, também, típico comentário preconceituoso para com a cultura e povo brasileiro. Tentaram, de várias formas, acabar com o carnaval desde sua aparição. Não estás indo na contramão do que se pensa no país com este tipo de comentário. Na verdade, é só mais do mesmo. O mesmo de sempre.

É repugnante ver um país que foi construido com os braços dos negros e repugna-os de forma tão violenta ao ponto de a Presidenta dizer que a sociedade “burguesia limpa” tem que arcar com legado da escravidão.
Ora, quantos governos já se passaram neste país e nenhum se quer realmente fez algo que fosse louvável ao ponto de permitir que o jovem negro saía de uma escola pública com condições de concorrer com o “branquinho”. Os negros não querem cotas mas sim educação de qualidade nas escolas que encontram-se defasadas, mas gastar bilhões com estádios para fazer festa de gringos é maravilhoso.

COTA RACIAL PRA CONCURSOS PÚBLICO JÁ!

De preferência para Juiz, promotor e altos cargos militares (brigadeiro, almirante). Uma vergonha esse país no século 21 continuar a segregar o negros dos altos cargos.

Amigo, não existe concurso pra oficial general, as escolas de formação militares são disparadas as mais democráticas do país, visite qualquer quartel, base aérea ou navio e verá negros oficiais e praças. Para se ver um oficial general negro basta q ele, assim como os demais companheiros de outras “cores” preencham os requisitos exigidos para o cargo, simples.

Entre os absurdos e a coerência de alguns discursos acima, me pergunto se os movimentos negro no Brasil já perceberam que estão sendo enganados. Infelizmente não há investimento onde é mais necessário, nas escolas públicas do maternal ao nível médio. O criminoso que mata e estupra não foi forjado quando tinha 20 anos. Ele começou com seus 10, quando voltava das aulas de meio período, depois de se saturar com professores mal remunerados e desestimulados.
Imaginem, se as cotas seriam necessárias caso ouve-se massivo investimento nas escolas. Dando toda estrutura necessária para que caminhassem. Isso não é sonho. Sonho é acreditar que sistema de cotas resolvera o problema da desigualdade.

Meu amigo, se me permite chama-lo assim, já imaginasse se não houvesse movimentos negros. Com certeza não estaríamos discutindo este assunto de tanta importância para o povo negro e o nosso país. Pois evolução do negro em qualquer sentido, será benéfica também para povo branco e principalmente para o país..

Promoção da igualdade racial? Isso não é racismo? A partir do momento que uma legislação visando benefícios para negros é criada os brancos e principalmente os brancos pobres são altamente prejudicados, dai a importância da criação de grupos contrario ao racismo instalado no governo brasileiro.

Me respondam só uma coisinha: em um país como o Brasil,um verdadeira escala pantone, a partir de que “tom” um cidadão é considerado negro? basta se autodeclarar? do jeito que nosso povo é malandro e folgado, o que vai ter de branquinhos, louros e até japoneses se declarando negros não vai ser mole.,

Já existem casos de gêmeos cotistas, sendo que um deles foi aprovado e o outro não foi aprovado no sistema de cotas, a verdadeira minoria brasileira é a branca se ela não se organizar e se unir o futuro dos brancos principalmente pobres vai ser essa completa discriminação, outro detalhe interessante que essas medidas visam votos, quem estuda a historia da esquerda sabe que apoiar as “minorias” garante qualquer vitoria nas eleições mesmo que a real intenção seja a manutenção de um estado autoritário com viés populista. Gostaria de entender o porque dos asiáticos em todos os países do mundo não necessitarem de cotas.

O que eu quero saber é quando a nossa digníssima presidente irá propor cotas no Congresso Nacional e nos seus Ministérios, afinal, ao que me consta, negros também não muito vistos por essas bandas não é dona presidenta? Como perguntar não ofende, por que, pasmem, o(a) único(a) ministro(a) negro(a) é o da igualdade racial?

“…reconhecer o genocídio da juventude negra como ação promovida pelo estado brasileiro. E combatê-lo de fato. O que é bem diferente de dizer que os assassinatos assim “vêm sendo classificado”. E você Dilma, como você enquanto presidenta classifica o assassinato de centenas de jovens negros pelas polícias e milícias em todo país?”

“Genocidio da juventude negra”???? É mesmo senhor “Negro” Belchior??? Quem é que está promovendo este tal genocídio??? Seriam os brancos malvados que matam negros por prazer??? A população brasileira é composta em mais de 50% por negros e pardos. Onde está o genocídio Sr. “Negro”??? Qual a porcentagem de homicidas não-negros??? Se vc me disser que os homicidas são 80% de origem não-africana e as vitimas 80% de origem africana, eu concordaria com vc sobre o tal “genocídio”. Mas sabemos que a realidade é bem diferente, não é mesmo?? Aposto com vc que a maioria absoluta dos negros e pardos assassinados no Brasil são mortos por outros negros e pardos.

Os maiores índices de homicídios de negros e pardos ocorrem no Nordeste. Sabe pq senhor “Negro”??? Pq 70% da população nordestina é negra e parda. Sabe mais o que??? Os estados do Nordeste, principalmente a Bahia (governada há sete anos pelo PT, o partido que mais malha a policia paulista), que tem população composta 77% de negros e pardos, tiveram suas taxas de criminalidade aumentadas exponencialmente nos últimos anos. No caso particular da Bahia, sua taxa de homicídios por 100 mil habitantes triplicou nos últimos 13 anos. Já na região Sudeste, principalmente em SP, saco de pancada predileto da esquerda brasileira e simpatizantes, as taxas de criminalidade diminuíram com a mesma intensidade com que aumentaram no Nordeste. No caso de SP, a taxa de homicídios por 100 mil habitantes se reduziu em 70% nos mesmos últimos 13 anos em que ela triplicou na Bahia. Sabe o que mais senhor “Negro”??? A população do sudeste é composta 70% por brancos. O senhor falou tanto em genocídio de negros mas não apresentou seus números comprovando o tal genocídio. Papel e tela de computador aceitam qualquer asneira senhor “Negro”. Eu quero ver menos tendenciosidade e sensacionalismo barato no seu blog e ver mais argumentos fundamentados.

a temática é boa, a abordagem também.
porém o texto é ingênuo.
você abrange no escopo do genocídio da juventude negra fatores que o qualificam e constroem, mas que não são de responsabilidade ÚNICA do governo federal e do representante em cargo alterar.
quem pode proferir tais palavras, Belchior, é só a presidência.
mas ela não tem poder, infelizmente, para mudar as estruturas.
o que vem sendo feito até então para alterar a condição do negro no Brasil, e que está sendo levantado pela iniciativa do governo federal, é de grande avanço e deve ser encarado como o “agir nas brechas” que o governo consegue: para colocar toda essa política de cotas e mais medidas inclusivas, luta-se muito no ambiente político e nas Câmaras.
por esta razão, um texto que melhor reconhecesse as iniciativas e não repetisse o discurso conservador faria um grande diferencial ao nosso grupo afrodescendente.

Desesperada porque não conseguiu fabricar uma cabeça de alfinete a mais do que a que o seu guia mandou, esta apelando para qualquer coisa tentando se reeleger. Vale até assumir campanhas anacrônicas como essa das cotas. Dona Dilma respeita o povo!

Até aqui ta cheio de assalariados do governo, fazer as besteiras da presidenta parcerem um “New Deal” brasileiro e criarem uma “ïmagem” de que ta fazendo uma grande reforma…. Quanto desserfiço ao povo brasileiro!

AVALIO QUE A FIXAÇÃO DE COTAS CONSTITUI UMA AUTÊNTICA INSTITUCIONALIZAÇÃO DO APARTHEID SOCIAL E RACIAL. O QUE PRECISA MESMO É QUE SEJAM DADAS CONDIÇÕES DE EDUCAÇÃO EM NÍVEL SATISFATÓRIO TANTO PARA POBRES, RICOS, BRANCOS, NEGROS OU QUEM QUER QUE SEJA.

Belchior,

Esse Pedro de Bragança (se é fato que esse é o verdadeiro nome) está cometendo um crime inafiançável com suas afirmações. Sugiro que a cópias dos seus posts sejam enviados à Polícia Federal para que o criminoso seja localizado e preso.

Sou terminantemente contra as cotas!!! Considero medidas como essa, uma palhaçada!!!! Servem apenas para mascarar o problema real da desigualdade social, fazendo as pessoas pouco críticas acreditarem que as soluções estão sendo tomadas.

Rasgaram a constituição.Querem reparaçao pela escravidão,vão a africa e cobrem dos irmãos que escravizavam e vendiam os seus irmãos de cor aos mercadores brancos .Não venham com vitimismos hipocritas,

VIVA AS COTAS RACIAIS!!!!!!!!!!!!!!!!! LEI DO VENTRE LIVRE , LEI DOS SEXAGENÁRIOS , LEI DAS TERRAS , CHIBATA NAS COSTAS , AÇOITE DE ORGÃOS GENITAIS, ESTRUPO DE MULHERES , ABANDONO DE CRIANÇAS TRATADOS COMO ANIMAIS, CLUBES E ESPAÇOS DE PRIVILÉGIOS DESTINADOS SOMENTE PRA UMA PARCELA DA SOCIEDADE….EXCLUSÃO DE MORADIA , SAÚDE , TRABALHO ,EDUCAÇÃO …. MUITOS ANOS DE UM VERDADEIRO APARTHEID RACIAL À MODA BRASILEIRA.GERAÇÃO EM GERAÇÃO SE PRODUZ O RACISMO E INFELIZMENTE O NOSSO TEMPO (2014) AINDA PRESENCIAMOS AINDA SETORES CONSERVADORES , RACISTAS E REACIONÁRIOS QUE SOMENTE QUEREM CONSERVAR O PODER PRA ELES COMO SE A EDUCAÇÃO PÚBLICA RESOLVESSE 514 DE PURA EXCLUSÃO. POR FAVOR PRA QUEM É CONTRÁRIO ESTUDEM MAIS E TALVEZ APRENDERAM A VERDADEIRA DEMOCRACIA E NÃO ARGUMENTOS DE PURA ALIENAÇÃO MIDÍATICA.SOU FILHO DE UMA BRANCA COM UM NEGRO E TOTALMENTE A FAVOR DAS COTAS!!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code