Categorias
Meios de Comunicação e Racismo

Movimentos convocam protesto antirracista na porta da TV Globo

 

 

 

 

Por Douglas Belchior

E a Rede Globo mantém seu papel histórico: fortalecer estigmas negativos relacionados à população negra e à classe trabalhadora, em especial às mulheres negras, no imaginário coletivo.

Até aí, nenhuma novidade.

Mas há sim um elemento novo: O Movimento Negro está nas ruas, forte como nunca.

[email protected] ao “Protesto e as Pretas“, em frente à Rede Globo, nesta terça feira, 16/09, às 19h, com concentração na Praça General Gentil Falcão – SP.

 

 

10612822_376892315793051_4700621778318644993_n

“Sexo e as Nega” será alvo de protesto em frente à emissora nesta terça feira.

 

Nota de Repúdio

“Sexo e as nega” não nos representa. Queremos mulheres pretas no poder!

 

Nesta terça feira, 16/09, estreia na Rede Globo a minissérie “Sexo e as Nega”, de Miguel Falabella. Nós, pretas e pretos independentes e atuantes de diversos coletivos, organizações e entidades manifestamos nosso absoluto repúdio a mais um golpe racista protagonizado pela emissora, que permanece desde a sua fundação como uma das ferramentas de manutenção do racismo e do machismo brasileiro.

Para nós, é evidente que a maneira como o seriado retrata as mulheres negras contribui de forma latente com os péssimos estigmas atribuídos historicamente às mulheres negras em nosso país, como o de mercadoria sexual, cujo único valor é o sexo.  “Sexo e as Nega” é só mais um capítulo do desserviço permanente prestado pela emissora ao povo negro.

A tentativa desonesta do autor de transformar esse seriado racista em uma maneira de propagandear a farsa da democracia racial, precisa ser denunciada. O racismo brasileiro se explicita a cada dia, e na mesma proporção o Movimento Negro vem ganhando força. Logo, mesmo que a emissora permaneça se furtando de um debate honesto sobre o racismo, ou até mesmo fazendo uma cobertura justa do que estão sendo as lutas antirracistas no Brasil, as diversas organizações do movimento negro permanecerão nas ruas, em protesto, enquanto for necessário, assim como será nesta terça-feira.

Convocamos todo povo negro de São Paulo ao protesto pela retirada imediata deste programa racista do ar e denunciamos:

  • A contribuição histórica da emissora com o racismo brasileiro;

  • A maneira racista e machista que a emissora retrata a mulher negra em sua programação;

  • O silêncio da emissora em relação às últimas mobilizações do movimento negro, em especial a Marcha Contra o Genocídio do Povo Negro, que movimentou mais de 60 mil pessoas em todo país no último dia 22 de Agosto;

  • A maneira como emissora se recusou a dialogar com as diferentes vozes que levantaram quanto ao programa;

  • A permanente tentativa da emissora de propagandear a farsa da democracia racial.

Confirme e Compartilhe Evento no Facebook

 

Assinam:

Uneafro-Brasil

Círculo Palmarino

Levante Popular da Juventude

34 respostas em “Movimentos convocam protesto antirracista na porta da TV Globo”

Achei um preconceito isso, nao só com as pessoas negras, mas para com as mulheres que suam a cada dia de luta, o pior de tudo e esse lado machista deles. Sinceramente sem nós mulheres quem seriam os homens? A mesma pergunta faco aos a nos mulheres quem seriam nos sem eles? Temos que respeitar as diferenças.
Vejamos também quanta hipocrisia há nessa globo, em que por um lado fala que é contra o racismo, mas o pratica de forma escancarada.

Há quem goste, quem não gosta tem outros tantos canais pra ver. Se colocar contra a exibição de “sexo e as negas”, no meu modo de pensar, é o mesmo que se colocar contra a exibição de “Sai de Baixo” pelas piadas feitas com pobres, quando intenção nunca me pareceu ser de menosprezo quanto ao pobre – apesar de alguns entenderem assim -, mas evidenciar quão ridículos são os preconceitos. Se fala tanto em ter mais amor, talvez a gente precise de mais humor também.

O título já é preconceituoso; estigmatiza a classe social da mulher negra em geral situando uma situação de pobreza e sub-qualificando a mulher negra em geral, isso fica evidente pelo próprio trailer de divulgação. Não precisa nem estrear basta ter o mínimo de bom senso que identificamos que é mais uma obra racista da Globo.

O Racismo da globo é velado é Cínico.

Acho que na verdade é uma referência ao seriado Sex and the city, contra o qual aliás, não ouvi ninguém no Brasil reclamar, fez o maior sucesso. E olha que mostrava as mulheres como fúteis, vazias e bla bla bla.

Isso demonstra claramente uma falta de discernimento, que é subsituída por reações dogmáticas e pré-conceituosas. Julgar um livro pela capa não é coisa de gente ignorante.

concordo c vc Diogo, atacar sem saber do que se trata não é nada inteligente, deixa estrear, aí saberemos do que , de fato, se trata, e aí sim, se necessário tomar as medidas cabíveis.

A rede Globo esta sendo atacada, pelo inconformismo de uma minoria organizada de cidadãos de pele negra que se vêem retratados na veiculação de um programa, mini serie, cujo mau gosto não se pauta, em um contexto de personagens estereotipados com estigmas étnicos sociais desconstrutivos; pelo ponto de vista dessa mesma minoria. Há que se perguntar. E a liberdade de “expressão artística”? E o carnaval, e sua globeleza, o que advir de então? Elementar meu caro Watson! Elementar… – Hum! – Reflexão… Reflexão…

Também acho um exagero dizer que “é evidente” que o seriado retrata as mulheres negras de modo a contribuir com “de forma latente com os péssimos estigmas atribuídos historicamente” a elas. O seriado ainda nem começou, não passou nenhum capítulo.

Os cinco pontos que o movimento denuncia até fazem sentido, mas não tem nada a ver com o seriado em si. Acho que num primeiro momento, antes de um seriado começar, a única coisa que é cabe é pedir esclarecimentos sobre o conteúdo.

O autor do seriado deve ter a oportunidade de se expressar primeiro pra depois as pessoas começarem a refletir sobre sua obra. Talvez o seriado venha mesmo a ser racista, mas tem que pagar pra ver, oras. O mínimo é que pelo menos um episódio seja exibido antes de constatarem racismo.

Tudo bem, provável que o seriado venha a ser zoado, mas espera passar um episódio. Não dá pra ficar falando assim de algo antes de ver. É o mínimo de bom senso.

É o mínimo do bom senso você assistir os teasers e depois vir dar sua opinião aqui, além do titulo o roteiro é centrado na pegação e noitadas das ‘negas’ junto a vida noturna em busca de sucesso na música – utilizado apenas como pano de fundo – . Vá se lascar, Falabella.

POR QUE DISCRIMINAÇÃO?
Autor: Jorge Galdino

Chamam-me de NEGRO
Sou o brilho de um continente,
Sou raiz, fruto e semente,
Para transformação,
Fui progresso neste país,
Não mudarei meu poder,
De vier no entusiasmo,
Ser também abençoado,
Pelo Deus que nos criou.
Quando me chamam com carinho,
Olá moreno! Oi neguinho!
Meu sorriso é como um ninho,
Acolhedor de amor.
Por que discriminação?
O glóbulo vermelho não muda,
A epiderme não suja,
Todo homem é cidadão.
Só muda o comportamento,
Do branco, negro, mulato,
Do cafuzo ao índio do mato,
É esta a diferença!
Se por opção há uma crença,
Mas temos a convicção,
Que do pó nascemos,
No mesmo pó crescemos,
E voltaremos a ser pó,
Sem haver qualquer distinção.

Jorge Galdino,Poeta e compositor Alagoinhas – BA.

O que mais vejo são militantes defendendo a liberdade sexual feminina, inclusive militantes negras, doa a quem doer… mas agora estão são contra – só falta defenderem a família e os bons costumes – só porque está sendo retratado em um seriado da globo… vai entender… pfff

Desculpa! mas não entendo o “titulo” como racismo ou preconceito entendo que as vossas atitudes são preconceituosas e segregadora. Afinal nós todos somos iguais possuímos cabeça, tronco e membros só o que nos diferencia é a cor me refiro de modo visual, agora repudiar algo que você ainda não conhece… hummm quem é que não tem uma boa atitude?! Ah outro detalhe só existe essa emissora aberta? O seu melhor protesto é não dar ibope ao reclamado! #ficaadica. Parem de se vitimizar o “afrodescendente”, “preto”, “nego” e etc não é sinônimo de invalidez ou todas as vezes que chamam alguém de “nego” todos ficam inválidos eu acredito que não! Então chega de mi mi mi … “SEXO e as NEGA” não leio sentido pejorativo, eu leio no sentido de modo de falar, afinal a educação está tão precária no nosso país que satirizam a nossa língua portuguesa! se você não percebeu é bom tirar as vendas do seu “auto preconceito” abraços!

Mais um golpe de marketing. A Globo já não tem mais a mesma audiência de outrora e tá tendo que correr atrás do prejuízo antes que seja tarde demais. Nesse jogo, vale tudo.

É incrível como a massificação atinge os brasileiros!
Ainda me espanto (não deveria) ao ver como algumas pessoas absorvem a ideologia propagada pela mídia dominante. Isso é tão forte que elas não conseguem enxergar os mecanismos capiciosos utilizados para tanto, como as piadas preconceituosas e os quadros de humor.
Lendo alguns comentários postados aqui fica cada vez mais evidente a necessidade dos movimentos sociais atuarem. Não apenas em defesa das mulheres negras, mas, principalmente, em defesa dos ignorantes que também são vítimas dessas mensagens midiáticas excludentes e ainda aplaudem de pé.

Um filme que se chama “As branquelas” não é considerado racismo, mas um seriado que se chame “Sexo e as negas” é racismo?
Façam – me o favor!
Se um filme, uma novela, programa de humor ou mini série não possui personagens negros reclamam que existe racismo, mas se esses programas possuem pessoas negras como personagens principais reclamam ainda mais!
Antes de falarem que existe racismo no seriado e que o mesmo está contribuindo em atribuir estigmas de que a mulher negra é mercadoria de sexo!
O que não estão querendo enxergar é que o seriado irá retratar a luta das mulheres negras, assim como as brancas, em querer um vida melhor para si e para seus semelhantes!
Se fosse uma outra emissora a produzir e transmitir esse seriado, com certeza não estariam fazendo todo esse estardalhaço. Enfim, mas como é Globo que vai transmitir o programa resolveram fazer protestos virtuais e reais para ver se conseguem tirar o programa que ainda nem estreou das grade de programas da emissora!
Não estou defendendo a Globo, mas antes de “atirar a primeira pedra” no programa, vamos assistí – lo e, para somente depois dizer se tem racismo no mesmo ou não!
Chega de hipocrisia em julgar sem antes assistir para saber como realmente será o programa em si e o desfecho de seus personagens!

O ANACRÔNICO E PRECONCEITUOSO “MOVIMENTO NEGRO”.

Quem me conhece sabe o quanto luto contra o racismo e qualquer outro tipo de preconceito. Fui criado em uma casa onde fomos ensinados que todos somos iguais independente de orientação sexual, raça, credo ou condição social.
Paralelamente não sou nenhum fã da rede globo e pouquíssimo assisto de sua programação atualmente. Mas me lembro que grande parte do meu ódio pela discriminação racial histórica deste País foi provocada por inúmeras novelas e minisséries da TV Brasileira nela incluídas as da Globo. Também vejo negros ocupando várias posições de destaque na emissora que tem programações como o programa Esquenta que mostra muito do som das periferias e consequentemente com grande influência negra, influência essa que permeia, para nossa felicidade, todas as características culturais, alimentares e comportamentais do Brasileiro. O auto intitulado “movimento negro” que agora ataca a nova produção da Globo já havia se manifestado contra personagens que em seu entendimento obtuso reforçam um estereótipo preconceituoso do negro brasileiro por ser um personagem pobre e desdentado. Então o que o movimento deseja é que na televisão brasileira não tenham personagens pobres, ou se existirem que não sejam negros? Então os personagens de negros na tv devem ser todos bem sucedidos para colaborar com a auto estima racial? Ora a auto estima racial já deveria ser a mais elevada pela beleza da cultura que herdamos dos ancestrais africanos e de seus descendentes já em território brasileiro.
Não que eu imagine que o novo programa da Globo seja nenhuma maravilha, até porque seu autor costuma fazer obras extremamente superficiais e pobres de conteúdo, mas como julgar algo que nem teve sua estreia ainda? Não seria essa a própria definição de preconceito?
O que me parece bem claro que o “movimento negro” se serve do ainda existente preconceito racial neste país para justificar sua existência e que tentar superar com superioridade essa barreira seria se condenar ao esquecimento

Acontece que tudo para a Globo é normal hoje em dia. Eles esqueceram dos princípios da família e que temos criança vendo TV. Primeiro, um casal homossexual. Depois, um beijo entre lésbicas. Agora, um travesti com nome de “Xana”. Daqui a pouco, um filme pornô em horário nobre e ainda vão falar que é preconceito quem se manifestar contra.

Infelizmente hoje no Brasil vivemos no “politicamente” correto. O ex-presidente Lula, em uma das suas pérolas, disse que a culpa da crise financeira é do homem branco e dos olhos azuis e, pelo que sei, não houve nenhum movimento de “brancos” para questionar isso, pois sabemos que a culpa da crise não tem relação alguma com a cor da pele, mas sim pela falta de capacidade dos gestores públicos. Assim, vejo que os movimentos negros, ao invés de bravatar, que vão lutar para causas mais nobres, tais como: melhoria da igualdade na educação, saúde, etc… ou seja, uma luta nacional para todos e não para um conjunto isolado de pessoas. Ademais, o preconceito começa com esses grupos, pois se colocam como vítimas. Aconselho a partir de agora serem autores ou pelo menos coadjuvantes e não mais vítimas.

A globo historicamente tem sido um ícone de reprodução de racismo. Todavia, Sexo e as negas, aparentemente, parece uma cópia abrasileirada de “sex and the city”, o famoso seriado norte-americano sobre quatro amigas e suas aventuras sexuais.

Se fosse sexo e as branquelas ninguém estaria reclamando. O negro não tem que ter vantagem mas sim igualdade. Se usar negros em uma série incomoda pela cor não é igualdade mas sim querer escolher padrões que incomodem menos.

Rede Globo manipuladora, preconceituosa e racial e principalmente a sua ideologia que é imposta pela sociedade. Agora, não vamos omitir a minissérie que trata-se da mulher negra a mercadoria de objeto sexual e domestica no lar. O marco história se repete da escravidão, hoje podemos expressar que mulher não e nada disso e sim guerreira que luta com intuito de adquirir o conhecimento de respeito dentro de outras. O século que habita e para evoluir o pensamento de mudanças e transformações a si próprio de almejar o seus desejo de forma de um ser humanos de respeito de educação de construção de valores pessoal, profissional e relacionar social. Somo seres humanos pensantes e não maquina. A diferença que carretam o ambos sexos e poder econômico. Pare, Basta temo agora lei os direitos e rede cumpre o dever pagar a sonegação do imposta e de sua discriminação que esta crescendo o povo esta esperto seja a mulher. Que prevalece a igualdade a todos os cidadãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code