Categorias
Educação Popular

 “Não se mostra o caminho apontando o dedo, mas seguindo à frente”

Por Douglas Belchior

Conhecimento, coragem e exemplo. Tive professores assim. Devo a eles o que eu sou como pessoa, como ser humano. E agradeço eternamente.

Outro provérbio: “É preciso uma aldeia inteira para educar uma criança”.

A tafefa de educar não é só do professor, mas de toda a comunidade. A vida educa, o convívio educa, o ambiente educa. Nossas ações, posturas, opiniões são fruto direto da educação e da forma como as informações são compreendidas por nós.

Se temos uma parcela da população brasileira adepta de ideias conservadoras, de propostas violentas e contraditórias com a vida, hoje representadas por Bolsonaro, é porque foram educadas para isso.

Ninguém nasce defendendo estupro, odiando negros e homossexuais, achando certo armar crianças ou concordando que patrões tem a vida muito difícil Brasil.

Ninguém nasce Bolsonaro.

Cada um de nós temos o dever professoral de conversar com cada pessoa nesse país, provocar empatia, criar vínculo, apresentar outras ideias, formar outra opinião e impedir a desgraça absoluta, que viria com a vitória do Bozo nessas eleições.

Parece difícil, mas saiba: difícil é dar aulas para 16 turmas de 40 alunos toda semana, fechar diários, corrigir provas, comer giz e chegar disposto e inspirado à ultima aula do dia, as 10h da noite.

Obrigada aos meus professores da vida, que tanto me ensinaram!

Vamos virar. Eu acredito!

#HaddadSim 13
#maislivrosmenosarmas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code