Categorias
Direitos da Criança e do Adolescente

O que diria Jesus de Nazaré sobre a redução da maioridade penal?

Por Douglas Belchior

“Com todo respeito aos que seguem Pastores
E aos que, em nome de Deus, elegem políticos cruéis…
Me permitam, por favor, uma pergunta aos fiéis:
Na missa, no culto, na cerimônia final
O que diria Jesus, sobre a Redução da Maioridade Penal?”

Em resposta à minha “má versação”, um novo amigo, religioso e militante social de longa data, Levi Araújo, nos presenteou com o lindo texto abaixo. Ele é Pastor Batista e me ajudou a reafirmar uma convicção: Jesus seria contra a redução da maioridade penal.

 

Jesus Maioridade

 

Jesus de Nazaré seria contra a redução da maioridade penal

Por Levi Araújo

 

Eu sou cristão evangélico e sou contra a redução da maioridade penal.

Tenho que admitir que muitos não aguentam mais a belicosidade, a desonestidade intelectual, as falácias e as desinformações que dominaram a grande maioria dos debates sobre a redução.

Proponho que olhemos esse tema sob a ótica dos ensinos do Príncipe da Paz, principalmente quando ele fala sobre a vingança, justiça e compaixão diante do contexto de violência que marcaram o seu nascimento, vida e morte.

Jesus não veio para prender, ele veio para nos libertar principalmente dos conceitos e conclusões equivocados que fazemos e propagamos sobre o que ele ensinou. Ele também veio nos libertar de uma perigosa interpretação literal da bíblia sagrada que ignora os aspectos históricos, culturais e literários que emolduram especialmente os textos do velho testamento. Isso mesmo, Jesus nos liberta da própria bíblia enquanto mãe de todas as heresias, espada dos inquisidores iracundos e régua moral das virgens vestais da religião.

Aos líderes religiosos, hipócritas e manipuladores não faltam textos bíblicos que podem sugerir autorizações a violências, opressões e ações punitivas, por isso que até o estudioso mais noviço sabe que a chave hermenêutica da bíblia sagrada é Jesus e a sua história. Com essa chave de ouro da interpretação bíblica, nós podemos abrir livro a livro e texto a texto sabendo o que pode ou não ser aplicado hoje.

 

libertacao

Embora a vingança pertença somente a Deus, Ele não veio para se vingar e a resposta quando estava sendo violentado e prestes a morrer na cruz do Calvário foi o perturbador Pai, perdoa-os, pois eles não sabem o que fazem. O seu conceito de fazer justiça sempre foi injusto para a nossa essência vingativa e meritória. O bateu levou ruboriza os rostos honestos diante da grandeza do oferece a outra face.

Mas o que mais me impressiona no Homem de Nazaré é a sua compaixão, o doer e sofrer com o doído e sofredor. Ele olhava os pecadores para além dos seus pecados, os doentes para além das suas doenças, os possessos para além das suas possessões. Ele é o Bom Pastor que desencoraja apedrejamentos, um Deus que chora com os que choram inconsoláveis as mortes das pessoas amadas, que se identifica e se coloca no lugar do outro. Da via dolorosa ao Monte Caveira, ele se assemelhou radicalmente com as suas imagens e semelhanças em seus maiores horrores. Ele sabe muito bem o quanto dói ser humilhado, torturado e morto. Por isso que todos os violentados, feridos e condenados podem se identificar com a cruz de Jesus.

Com Jesus eu não aprendo a ignorar ou minimizar as violências. Os seus ensinos não são apologia a impunidades, neles eu encontro a base suficiente para afirmar que a sua resposta ou solução ao problema da violência, passa por uma adequada responsabilização dos agressores, com o espírito de quem veio salvar e resgatar o que se perdeu, acreditando sempre na restauração e ressocialização, como aconteceu com o endemoninhado gadareno, que ele devolveu são e livre para a sua família e comunidade.

A proposta pacífica, perdoadora e reconciliadora de Jesus não coisifica as pessoas, ao contrário, as contempla como sujeitos e não objetos, como gente e nunca como escória.

Jesus nasceu em meio à matança dos inocentes onde Heródes, buscando a sua perpetuação no poder, reduziu a idade penal aos dois anos de idade e, quando tinha pouco mais de trinta e três, foi executado com a pena capital romana como um criminoso e inimigo do império. De violência e punição Jesus entende bem!

 

Jesus

Dentre as mais belas passagens conhecidas, o Sermão da Montanha foi considerado por Gandhi a Constituição da Sociedade Ideal, um discurso poderoso que alimenta até hoje todos os movimentos pacifistas. Seu conteúdo foi, no contexto da época, um tratado de paz apresentado às pessoas massacradas pela máquina de guerra romana.

Imaginem um público de crianças, adolescentes, mulheres e velhos violentados, explorados, a maioria de órfãos e viúvas abandonados e usurpados em suas dignidades e integridades, pessoas sofridas, inseguras e amedrontadas ouvindo as seguintes palavras do filho de um carpinteiro:

Vocês ouviram o que foi dito: “Olho por olho, dente por dente.” Mas eu lhes digo: não se vinguem dos que fazem mal a vocês. Se alguém lhe der um tapa na cara, vire o outro lado para ele bater também. ( … ) — Vocês ouviram o que foi dito: “Ame os seus amigos e odeie os seus inimigos.” Mas eu lhes digo: amem os seus inimigos e orem pelos que perseguem vocês, para que vocês se tornem filhos do Pai de vocês, que está no céu.

Não é preciso conhecer muito sobre Jesus para perceber que tudo o que ele ensinou destoa significativamente do discurso de alguns defensores da sua cruz, da família tradicional, do próprio Deus e, logo, da redução da maioridade penal. O que esses defensores realmente desejam é usar a insegurança e violência pública para ter apoio popular e financeiro suficiente nas suas escaladas em nome de Deus, na possessão dos pináculos do poder de Brasília.

 

*Levi Araújo é Pastor Batista e membro da Equipe Pastoral da Igreja Batista de Água Branca em São Paulo.

 

68 respostas em “O que diria Jesus de Nazaré sobre a redução da maioridade penal?”

seu discurso eh um despropósito, nesse contexto não haveriam leis em nenhum lugar do mundo…. os homens são sujeitos as leis dos homens e burlar essas leis eh uma escolha de cada um que sabe as consequências dos seus atos….. ser pacificador não eh ser omisso e permissivo nunca soube de Jesus interferindo em decisões legais, ao contrario, Jesus as respeitava…. vc deveria ter vergonha de escrever um texto desses sem um pingo de fundamento e ainda expor o grupo dos evangélicos…. comparar as ordens de Herodes com o que vivemos hj, no minimo, nao eh inteligente….eram bebês inocentes… nos falamos de assassinos e criminosos…. acorda…. exclua este posta pq está feio…. uma vergonha…. ao invez disso vá evangelizar esses adolescentes ore pra que eles aprendam a cumprir a lei e assim jamais serão punidos

Ana Paula, gostei do final de sua postagem. Se nós pais e mães, fizéssemos isso com nossos filhos muitos deles seriam melhores. A violência é passada aos filhos pelos adultos, inclusive com a omissão na hora de lutar pela justiça social para todos. Quem prega, pratica e defende a violência fere a lei cristã. Atualmente é preciso coragem para defender a paz e a justiça!

Não sei se vocês perceberam , mas eu sim!.Os partidos de esquerda existe um “VERDADEIRO ÓDIO” contra os cristãos,esse sim é verdadeiro .Agora,quannnnnnnnnnnnnnnndo um pastor fala “algo” que convém a eles….”Eles aceitam de braços abertos”.Quem é o verdadeiro hipócrita desta história? Quem são os verdadeiros vendilhões da democracia?Com a palavra o dono do texto e quem publicou.Tenho dito.

Concordo plenamente com você texto incoerente, nunca vi a bíblia ir contra leis, que não vão contra a palavra de Deus, na verdade a maioria de nossas leis tem princípios bíblico, um país sem leis não tem ordem, no texto bíblico quando jesus é crucificado há dois malfeitores do lado, tanto que um dos condenados reconheceu que seu julgamento era justo, “Nem ao menos temes a Deus, estando sob igual sentença? Nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o castigo que os nossos atos merecem”
Por mim tinha pena de morte para crimes hediondos, tem pessoas que não tem recuperação, são psicopatas e só atinge a sociedade, e nunca vi dizer que um condenado a pena de morte voltou a cometer crimes.

Robson. Já que você não vê à sua volta, estude um pouco! O último condenado a morte no Brasil foi O cidadão de bem Coqueiros, pela quadrilha formada por juízes, advogados e outros poderosos, para se apossarem de seus bens. D. Pedro II*, depois de bem entender a hipocrisia, jamais autorizou a pena capital, sendo oficializada, em seguida, na República recém proclamada. Imagine os Gilmar Mendes, Renan Calheiros, Eduardo Cunha, todos citados na Lava Jato, com a autorização de condenar à pena de Morte!]

Ora… Quem está querendo descumprir a lei é quem quer altera-la, reduzindo a maioridade. Ele foi bem claro ao falar da necessidade de punição. Leia o texto direito.

Nem tente debater, as pessoas têm uma dificuldade tremenda de interpretação…Certamente não leram com atenção. :/ O texto está excelente e concordo com a opinião do autor. 😉

Jesus nasceu em uma manjedoura. O lugar onde a pessoa nasce, com algumas exceções, não justifica seus atos.

Hoje eles fazem seus crimes, ficam à vontade por serem menores de idades, podem matar, roubar, estuprar e continuar fazendo isso incontáveis vezes. A prisão não deve ser vista como uma punição, mas apenas como uma maneira de impedir que continuem com suas atrocidades.

O ideal sim seria uma reeducação em outro lugar. Mas o Estado não mantêm nem as prisões, menos ainda um local para esse objetivo.

Ana Paula, concordo contigo em gênero, numero e grau. Sr. Douglas e SR. Levi, um belo texto, muita fantasia e muito bonito, talvez envolvente, porem como sou um ignorante no meio de um universo popular no Brasil, vou me ater à poucas palavras, será que os “senhores” saberiam me explicar, já que são “doutos”, porque na campanha para o “direito” de voto para jovens a partir dos 16 anos, não houve por parte dos “intelectuais” uma campanha ofensiva, como esta que está aí, dos “ditos” doutos em “problemas sociais” ??, os senhores seriam capazes de afirmar que uma pessoa, começa a entender de política com mais ou menos 12 ou 13 anos, para assim aos 16 anos ter conhecimento suficiente, para escolher um político que vai lidar com as Leis e diretrizes de um povo e de um PAÍS??????? porque então se votou e deu esse “direito” a quem não tinha competência para tal?, talvez(eu disse talvez, com ironia é claro), para tirar o poder de um votante mais maduro, e mais esclarecido, para assim os “senhores” intelectuais, doutores, políticos e afins, poderem deixar se instalar o caos que se encontra o País neste exato momento. Mais uma perguntinha por favor para encerrar, os “senhores”, poderiam me citar quais os países desenvolvidos e do “primeiro” mundo (ou escalão), que a maioridade penal é acima de 16 anos????? Brasil não vale, pois nem é de primeiro mundo nem do primeiro escalão ok?, e desse jeito com pessoas pensantes igual aos senhores, provavelmente, ainda demorará um bom tempo, é muito bonito falar isso tudo que os senhores falaram, mas, mais bonito seria, não concordar com a diminuição da idade penal e dar as soluções para as praticas de delitos por esses menores, se o problema é o governo, que se tire então o direito de voto obrigatório e também dos “adolescentes” que nem são capazes de dizer o nome do presidente do BRASIL, antes do governo do PT, e com ajuda desses “menores” se elegeram, mas isso os senhores não movem uma palha pra fazer, porque será????? Sou Cristão não sou a favor da Violência, mas essa conversa fiada deve ter uma conotação política se não tem parece, e não me venha com essa que Jesus disse, quando lhe baterem na face ofereça a outra, porque aí eu também vou dizer q ele disse que não veio para revogar a Lei, e a lei é do antigo testamento (Não matar é uma delas, não roubar também, honrar pai e mãe é outra) e se fomos usar Deuteronômio (tora em sí e as 613, aí é que o negocio complica), e até do novo, pois ele indagado disse dê a Cesar o que é de Cesar (homens) Pois é a Humanidade do Homem que aproxima ele de DEUS, e humanidade é Cumprir a Lei dos Homens, e esses “jovens” porque sabem que não vão ser punidos e não tem leis para obedecer, fazem a vida dos outros um inferno, e a DEUS o que é de DEUS, mas minha colocação não é por esse ângulo, apenas acho(eu disse acho), que se tem que fazer alguma coisa, já que deram poder (voto), as pessoas erradas, agora é aguentar (ou mudar), as consequências, e a primeira mudança é diminuir a idade penal, a segunda caçar o direito ao voto com 16 anos, depois as mudanças “SOCIOECONÔMICAS” que o País exige e precisa, prendendo esses que não fazem nada pelo Povo e Pelo País.
Mais uma vez, Meus parabéns Ana Paula de Oliveira.

Este site é intolerante,não colocaram minha resposta, só porque discordei do autor do texto, e concordei com a ANA, não falei palavras de baixo calão, não ofendi, não maltratei, só coloquei, perguntas que talvez o autor do site, não gostaria de responder, como o direito a voto de jovens de 16, sem nenhum conhecimento politico e que ninguem se manifestou contra, tirando o direito de quem tem mais conhecimento, e tambem perguntei porque não se acaba com o voto obrigatorio, coisas desse tipo, porem, não deixou publicar, site intencional e maldoso, se teem coragem deixe este ir e postem o outro, o debate tem que ser livre, e não opiniao radical, de pessoas interesadas em publicar só coisas que lhes convem.
OBS. provavelmente tambem não deixaram passar este, mas pelo menos saberao que o Povo ja nao está tao otario, como eles pensam.
Parabens ANA PAULA de OLIVEIRA, e para vcs autores do texto e do site ZERO (O).

Concordo contigo, Ana Paula. Jesus seria a favor de que toda lei estabelecida fosse cumprida, seja contra quem fosse. Ele mesmo cumpriu a pena de morte quando podia recusá-la. Mas era a lei e Ele a cumpriu até o final, mesmo sendo inocente.

Porque certas pessoas são contra a maioridade penal?acho que é porque nunca foram vítimas desses malditos.como diz o ditado pimenta nos olhos dos outros é refresco.e ainda ficam colocando em vão o nome santo de Deus. Quem protege bandido só pode ser bandido também. Quem comete crime hediondo pode ser até criança que tem que pagar pelo crime que cometeu. Não acho que Deus perdoa,senão pra que ser bom e honesto?

Também tenho dificuldade em entender como Deus pode perdoar algumas coisas, mas sei que nem tudo me cabe entender.
Passei por quatro situações de assalto em minha vida, a última há cerca de dez dias. Apenas a primeira delas foi por um menor de idade, quando eu também era menor. Felizmente, consegui sair ileso de três delas, perdendo apenas dez reais na última. Em todos os casos, desejo, sinceramente, apenas que algo de bom aconteça a essas pessoas para que saiam dessa vida; não quero que continuem a praticar a violência, mas também não quero que sofram nenhum mal. Não desejo a ninguém.

No Brasil a maioridade penal devia ser aos 12 anos. Com xadrezes de segurança máxima para toda e qualquer pessoa que tenha cometido crimes contra a sociedade, cabendo a justiça julgar cada caso com rigor, porém, sem cometer erro algum que possa prejudicar o cidadão inocente. O Brasil precisa urgente resolver esse problema da maioridade penal e o do controle natalidade, são muitas crianças colocadas no mundo geradas por pais sem os mínimos recursos para educar seus filhos e crescem e se tornam violentos e terminam entrando no mundo das drogas e da criminalidade…

Jesus não falou nem contra a escravidão, prática comum à época, então é curioso que alguns tenham tanta certeza sobre o que ele diria ou deixaria de dizer sobre as políticas públicas do nosso país. É no mínimo pretensioso. Aliás, não só pretensioso, mas vai contra a própria prática de Cristo que – não atendeu aos anseios dos judeus que ansiavam por um revolucionário libertador – preferiu se dirigir tão somente ao coração do homem completamente à parte das políticas públicas do opressor Império Romano.

Se nem contra o Império Romano Jesus se levantou, como raios usá-lo como trampolim contra as opressões e supostas opressões de nossos dias? Aliás, se o autor do texto é mesmo entendido de hermenêutica, deveria aprender a diferenciar o que, nas Escrituras, é ética privada do que é ética pública. Confundir a ética privada do Sermão do Monte com um tratado de ética das relações internacionais, é incorrer num erro elementar de exegese.

Vamos deixar Jesus cuidar do coração humano e parar de usá-lo como sustentáculo de nossas ideologias políticas e muito menos para incitar o ódio quando aqueles crentes piedosos que “ousam” pensar diferente de nossas opiniões sobre políticas públicas.

“Vamos deixar Jesus cuidar do coração humano e parar de usá-lo como sustentáculo de nossas ideologias políticas”.
Temos uma bancada evangélica no Congresso, que defende suas ideologias em nome de Jesus. Ideologias opressoras e alinhadas a interesses claros. O pastor Levy traz sua leitura da Bíblia. O deputado Peninha (PMDB) cita o Antigo Testamento para facilitar a venda de armas, e tem em seu PL a proposta de que civis possam atirar até 50 balas por mês. Eu já fui assaltado diversas vezes, e jamais pensei em atirar uma vez sequer… Não consigo imaginar um cidadão que precisa atirar (atenção) cinquenta vezes por mês.
Insisto: o texto apresenta uma leitura da Bíblia; pode existir outras. Mas o nome de Deus está sendo implicado em ideologias há muito tempo, e é necessário lutar contra isso.

Que Deus use o Pastor Levi para que ele possa sair às ruas hoje libertando todos os que estão endemoninhados, pois Jesus libertava todos, porém era todos que queriam.
Tem um monte de vagabundo que não quer nada, não está preocupado com nada, mas espero que o pastor Levi coloque o endereço dele para que todos os endemoninhados o procurem e ele disponha de cuidado e amor fraternal dando casa, comida e roupa lavada aos garotinhos, inclusive que leve o champinha pra se ressocializar na casa dele.

Mais um detalhe em relação aos que dizem que Jesus não veio prender, Vá até as penitenciárias e adote um bandidinho queridinho. Coloque na porta de sua casa. Seja bem vindo querido estuprador, entre e suba as escadas minhas filhas estão no quarto a esquerda e minha mulher está no quarto a direita e não se preocupe comigo eu tenho sono pesado. Ah! As facas estão embaixo do travesseiro para você matá-las depois viu querido.
Outra dica é:
Vá na cracolandia e pegue uma dúzia de viciados, compre crack para eles e leve eles para fumar na sala da sua casa junto com seus filhos.

Jesus nunca teve essa atitude de defender vagabundo, seja ele de 21, 18, 14, 12 ou qualquer idade. Essa teologia humanista utópica não existe.

Agora se o escritor do artigo estiver querendo ser melhor que Jesus… Pois quando eu leio sobre Jesus eu vejo um homem que diz: vinde a mim todos os sobrecarregados e oprimidos e Eu vos aliviarei.

Quem não quer o alívio de Jesus então que se contente com Romanos 13.

Discordo de maneira veemente do posicionamento acima! Ele foi compartilhado na de timeline de outro líder religioso.
Primeiramente, em nenhum momento Bíblico o Cristo envolveu-se em questões Políticas, pelo contrário, absteve-se de qualquer ligação. Notória é a frustração do Povo de Israel ao perceber que ele não os libertariam do domínio Romano. Ele envolvia-se em questões éticas!
A liberdade que Cristo disseminou foi a liberdade de alma e espirito, o que ultrapassa as questões físicas. O significado da palavra Metanóia aponta para esse sentido de “expansão da Consciência”.
É contraditório falar que “Ele também veio nos libertar de uma perigosa interpretação literal da bíblia sagrada que ignora os aspectos históricos, culturais e literários…” e não se atentar ao contexto social atual, o que em muito difere da realidade da época de Cristo.
O que vejo nesse texto é uma maneira de usar, de forma tácita, as palavras de Cristo para fundamentar uma posição política. Chamar os lideres religiosos contrários ao seu pensamento de “hipócritas e manipuladores não faltam textos bíblicos que podem sugerir autorizações a violências, opressões e ações punitivas, por isso que até o estudioso mais noviço sabe que a chave hermenêutica da bíblia sagrada é Jesus e a sua história”; é esquecer de tirar a trave dos próprios olhos.
Não se trata de redução ou não da maioridade penal, sim de usar e manipular as palavras de alguém que não expressou opiniões diretas sobre política para para fundamentar diretrizes políticas.
Ora, nesse viés manipulatório, como fica o fato de aos 12 anos Cristo ter consciência, discernimento e intelecto em níveis tão elevados que o possibilitava debater com os doutores da Lei (torá)?
Religião e política estatal, principalmente no que tange política criminal, caminham em caminhos distintos, uma vez que o discurso religioso Cristão é o perdão, o amor ao próximo, a caridade e a boa convivência entre os seres viventes. Por outro Lado, pelo fato de o Homem não alcançar a plena prática de tais princípios, cumpre ao Estado a manutenção da paz social, sendo que cada súdito é responsável , dentro dos limites estabelecidos por seus atos.
“De violência e Punição Jesus entende bem”, todo mau que Cristo passou foi possível mediante o contexto Jurídico e Estatal da época. Tratava-se de um regime Romano específico onde existia pena capital. Cristo veio no contexto necessário ao cumprimento do seu dever e das profecias, não? Se não existisse pena de morte (e morte por cruz) qual seria a forma de cumprimento das profecias?
Não se trata de vingança e sim de pretensão punitiva vista aos atos delituosos. Essa pretensão punitiva pertence unicamente ao Estado e não ao particular, logo, como disse, não se trata de vingança, lei de talião e etc. Trata-se tão somente de Política Criminal.
Alguém disse que “a justiça Divina nunca falha”, pois bem, clara a existência e separação entre justiça Divina e a Justiça dos Homens. Logo a Deus cabe a Justiça Divina, que é perfeita, e aos homens cabem a Justiça dos Homens, essa é permeada de injustiças e corrupção.
O Homem que viver uma vida plena, dentro dentro dos princípios perpetuados por Cristo, não terá problemas com a Justiça dos Homens, e ao ser lesado por alguém o perdão será a melhor forma de se libertar. Contudo, o perdão não retira do Estado o poder dever da manutenção da Paz Social, tão pouco interfere na Justiça Divina em relação ao julgamento do Homem pelo pecado e suas obras.
Justiça dos Homens julga crime, Justiça Divina Julga Pecados e Obras.
abraço

Caro padtor, falou falou mais não explicou, sim Jesus pregou sobre perdão mais de forma geral sendo assim deveríamos nós ser contra a punição não só de menores mais de todo tipo de infratores de 0 a 1000 anos, sou cristão creio na bíblia e creio q o pecado tem seu preço e pra prcar não precisa ter 18 anos completos

Até que enfim um pastor coerente e com discernimento e clareza da palavra da bíblia. Acho que todos os outros que se dizem pastores deveriam ler este pequeno, mas sábio texto.

De acordo com o texto, vamos libertar todos os presos e ama-los, leva los para Brasilia e conviver com a Presidenta e viver no congresso pra discutir o que será feito no Brasil, amar amar e amar

Amar e orar pela juventude não significa aceitar e compactuar com os seus crimes, até porque os menores assassinos brasileiros não furtam pão, eles são cruéis na maneira de sustentarem luxo, vicio e poder sem esforço, muito pelo contrário, zombam das leis, da falta de leis e das autoridades, por omissão da sociedade e dos governantes compradores de votos, que dão uma falsa sensação de liberdade, justiça aos “menos favorecidos”.
Estude a bíblia (inteira) veremos que Deus é amor, mas também é justiça.
Texto fora do contexto é pretexto.
#Romanos13

ESTES COMENTÁRIOS SÃO CRASSOS. AS PESSOAS CONFUDEM QUE JESUS NÃO É PERSONAGEM DO ANTIGO TESTAMENTO. BELO TEXTO DO PASTOR. PERTINENTE INICIATIVA DOUGLAS.

Ricardo, muito bem colocado… texto totalmente manipulador. Incrível como as pessoas conseguem enxergar o que é conveniente ver, tornando-se tão hipócritas quanto aqueles a que tanto criticam.

E um ser que nasce num ambiente sem perspectiva nenhuma de vida, fadado ao fracasso/crime, salvo exceções, desde o ventre da sua mãe? Isso é justo? Vocês acham que com a redução da maioridade penal, a justiça será feita aos 16 anos. Mas eu te digo, na presente situação, a injustiça é feita desde o momento do seu concebimento. Que Deus te ilumine!

Em Mateus 5:17-18, Jesus disse: “Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas, não vim para revogar, vim para cumprir. Porque em verdade vos digo, até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra.
Para compreender este comentário de Jesus, precisamos prestar atenção especial a três palavras que ele usou. A palavra revogar vem de uma palavra grega que significa derrubar, subverter ou destruir. Jesus não veio para subverter a Lei, ele veio para cumprir. A palavra traduzida cumprir significa completar, levar até o fim, realizar ou obedecer. Jesus não pretendia subverter a lei, ele pretendia cumpri-la, assim a levando até o seu determinado fim. A terceira palavra importante é a preposição até. Os céus e a terra poderiam passar, mas a lei não passaria até ser cumprida. Esta palavra (traduzida até, até que, ou enquanto) significa algo que chega até um certo ponto e termina. Deus falou para José ficar no Egito até que ele fosse avisado (Mateus 2:13). José não “conheceu” Maria “enquanto ela não deu à luz um filho” (Mateus 1:25). Na morte de Jesus, houve trevas até à hora nona (Lucas 23:44). A Lei não perdeu sua força até ser cumprida por Jesus.
”No início de nossas civilizações a maioridade penal era fixada aos sete anos de idade, em linha com a igreja católica que era a maior influência da época. Com o passar dos anos houve a necessidade de aumentar essa imputabilidade. Houveram muitas alterações até os dias atuais em relação à maioridade penal, conforme a necessidade de cada época.
Na época de vigência, no Brasil, das Ordenações Filipinas, o que perdurou até os anos de 1830, a inimputabilidade penal era até os seis anos de idade, ou seja, a partir dos sete anos já havia a imputabilidade. Entendia-se que com essa idade o homem já tinha razão, discernimento para distinguir o certo do errado, idade esta influenciada principalmente pela Igreja Católica.

Caro Levi Araújo, Boa tarde.

Prima facie vejo sua compaixão pelos seres humanos à semelhança de Cristo e isso é bom, mas tenho que discordar de você tanto no contexto social como teológico! Dizer que Jesus seria contra a redução da maioridade penal é no minimo uma interpretação pessoal para não dizer que a tal é completamente espúria.
Jesus ama o ser humano, mas nunca concordou ou vai concordar com seus pecados! O mestre sabia exatamente a diferença entre a política da sua época e o Reino de Deus. Um exemplo básico está registrado no Evangelho de Lucas. Perguntaram a Jesus se era correto pagar imposto, queriam de alguma forma que ele falasse contra o governo de Cesar e das leis estabelecidas… Veja a passagem Bíblica: É certo pagar imposto a César ou não? ”
Ele percebeu a astúcia deles e lhes disse: “Mostrem-me um denário. De quem é a imagem e a inscrição que há nele? ” “De César”, responderam eles. Ele lhes disse: “Portanto, dêem a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”. (Lucas 20:22-25) Não é preciso uma exposição aprofundada da hermenêutica e da exegese para entender que Jesus de Nazaré com certeza seria neutro e submisso as leis caso estivesse aqui no Brasil.

Jesus ama o pecador, mas odeia o pecado e jamais tomará o culpado por inocente, jamais vai elogiar um transgressor assassino, ladrão, estuprador e destruidor de famílias!!! Um adolescente que mata premeditadamente, rouba, estupra, perturba a paz da sociedade jamais terá Jesus de Nazaré como um advogado de defesa para seus crimes perante a lei federal. O Apóstolo Paulo deixa uma bela resposta para isso em sua carta aos Romanos:

Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por ele estabelecidas. Portanto, aquele que se rebela contra a autoridade está se colocando contra o que Deus instituiu, e aqueles que assim procedem trazem condenação sobre si mesmos. Pois os governantes não devem ser temidos, a não ser pelos que praticam o mal. Você quer viver livre do medo da autoridade? Pratique o bem, e ela o enaltecerá. Pois é serva de Deus para o seu bem. Mas se você praticar o mal, tenha medo, pois ela não porta a espada sem motivo. É serva de Deus, agente da justiça para punir quem pratica o mal. Portanto, é necessário que sejamos submissos às autoridades, não apenas por causa da possibilidade de uma punição, mas também por questão de consciência. É por isso também que vocês pagam imposto, pois as autoridades estão a serviço de Deus, sempre dedicadas a esse trabalho. Dêem a cada um o que lhe é devido: Se imposto, imposto; se tributo, tributo; se temor, temor; se honra, honra. Não devam nada a ninguém, a não ser o amor de uns pelos outros, pois aquele que ama seu próximo tem cumprido a lei. Pois estes mandamentos: “Não adulterarás”, “não matarás”, “não furtarás”, “não cobiçarás”, e qualquer outro mandamento, todos se resumem neste preceito: “Ame o seu próximo como a si mesmo”. O amor não pratica o mal contra o próximo. Portanto, o amor é o cumprimento da lei. Façam isso, compreendendo o tempo em que vivemos. Chegou a hora de vocês despertarem do sono, porque agora a nossa salvação está mais próxima do que quando cremos. A noite está quase acabando; o dia logo vem. Portanto, deixemos de lado as obras das trevas e vistamo-nos a armadura da luz. Comportemo-nos com decência, como quem age à luz do dia, não em orgias e bebedeiras, não em imoralidade sexual e depravação, não em desavença e inveja. Pelo contrário, revistam-se do Senhor Jesus Cristo, e não fiquem premeditando como satisfazer os desejos da carne. Romanos 13:1-14.

Poderia lhe apresentar uma exposição Hermenêutica e Exegética exaustiva sobre o assunto em questão, mas quero limitar-me ao fato de que Jesus de Nazaré também foi um ser social e por isso era submisso as leis governamentais de sua época e por isso jamais seria contra a punição legal de criminosos transvestidos de menores infratores!!!

Finalizando quero dizer que o real objetivo de Jesus de Nazaré era salvar e libertar o ser humano dos seus pecados e por isso Jesus pregava o arrependimento e a conversão como único meio de Salvação… Um assassino pode se arrepender de ter matado milhares, um estuprador pode se regenerar e nascer de novo pelo poder de Jesus, um pedófilo pode ser transformado como também estelionatário, traficante etc. Todos podem ser transformados pelo poder libertador e transformador de Jesus, Ele é a expressão máxima do Amor de Deus:

“Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna”.

O ser humano pode até morrer na cadeia, mas jamais pode morrer sem arrependimento!!! O que preocupa a Jesus de Nazaré não é se essa lei da redução da maioridade vai afetar o Brasil ou não, a preocupação de Jesus é livrar o ser humano da condenação eterna no inferno!

Jesus Nunca isentou-se da lei dos Homens… EX: Dai a Cesar o que é de Cesar dai a DEus o que é de Deus….PAGANDO O QUE A lei dos homens determinava. DEUS É AMOR MAIS É JUSTIÇA E NOS CONCEDE A LIBERDADE PARA DECIDIRMOS O MELHOR PARA NOS
OBSERVEM O QUE A BIBLIA FALA EM ECLESIASTES 11.09.
9 Alegra-te, jovem, na tua mocidade, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade, e anda pelos caminhos do teu coração, e pela vista dos teus olhos; sabe, porém, que por todas estas coisas te trará Deus a juízo
PROVERBIOS 21:11,29 Quando o escarnecedor é castigado, o simples torna-se sábio; e, quando o sábio é instruído, recebe o conhe­cimento.
Provérbios 26:3 O açoite é para o cavalo, o freio é para o jumento, e a vara é para as costas dos tolos.
Proverbios26:27 O que cava uma cova cairá nela; e o que revolve a pedra, esta voltará sobre ele.
29:1,15 O HOMEM que muitas vezes repreendido endurece a cerviz, será quebrantado de repente sem que haja cura. A vara e a repreensão dão sabedoria, mas o rapaz entregue a si mesmo envergo­nha a sua mãe.
Provérbios 29:17
Corrige o teu filho, e ele te dará descanso; trará delícias para ti.
João Ferreira de Almeida Atualizada (Biblia)
Não evite disciplinar a criança; se você a castigar com a vara, ela não morrerá.
Castigue-a, você mesmo, com a vara, e assim a livrará da sepultura.
Provérbios 23:13,14
Prov 22:6, Ensina a criança no caminho em que deve andar, e ainda quando for velho, não se desviará

Em Mateus 5:17-18, Jesus disse: “Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas, não vim para revogar, vim para cumprir.
O QUE ESTA EM JOGO AQUI NÃO É O PERDÃO QUE JESUS CONCEDE AO QUE SE ARREPENDE… PQ DE FATO ELE PERDOA… MAS ELE NÃO ISENTA NINGUÉM DAS CONSEQUÊNCIAS DE SEUS ERROS. A BÍBLIA ESTA REPLETA DE ERROS E SUAS CONSEQUÊNCIAS DESDE ADÃO, ANTIGO TESTAMENTO ATE OS DIAS DE HOJE (NOVO TESTAMENTO)
JESUS SABIA DAS CONSEQUÊNCIAS QUE TERIA QUE ENFRENTAR A LEVAR AQUELA CRUZ POR NOS… E VÊ SE DEUS O SEU PROPRIO PAI… O POLPOU.
LEMBRA? SENHOR AFASTA DE MIM ESSE CALICE ?? TODAVIA SEJA FEITA A SUA VONTADE…
E Amar não é aceitar tudo. Aliás: onde tudo é aceito, desconfio que haja falta de amor.

JA QUE VOCÊS GOSTAM TANTO DO 13 … DO PT TOMA O ROMANOS 13 DA( BIBLIA) …… E QUEBREM AS PERNAS SÓ PARA REFUTAR ESSE ARGUMENTO DE TANTA PERMISSIVIDADE SEM CONSEQUÊNCIAS….
# ROMANOS 13

Jesus falou em AMOR, Jesus falou em JUSTIÇA. Agora querer que amor ou justiça se traduza em punir ou não pessoas com 12,14 ,16,18 ou 80 anos por seus atos, não me parece muito honesto, ainda mais quando se coloca Jesus na discussão. Jesus não é contra nem a favor da redução da maioridade, este assunto cabe a nós. O assunto é longo mas só deixo uma pergunta : Os argumentos usados para a defesa da não redução não deveriam serem usados para uma defesa da ampliação da maioridade? Ou podemos provar cientificamente que um menino de 17 anos e 11 meses é diferente de um de 18 anos e 2 dias?

MINHA RESPOSTA AO AUTOR DA POSTAGEM…

Caro Levi Araújo, Boa tarde.

Prima facie vejo sua compaixão pelos seres humanos à semelhança de Cristo e isso é bom, mas tenho que discordar de você tanto no contexto social como teológico! Dizer que Jesus seria contra a redução da maioridade penal é no minimo uma interpretação pessoal para não dizer que a tal é completamente espúria.
Jesus ama o ser humano, mas nunca concordou ou vai concordar com seus pecados! O mestre sabia exatamente a diferença entre a política da sua época e o Reino de Deus. Um exemplo básico está registrado no Evangelho de Lucas. Perguntaram a Jesus se era correto pagar imposto, queriam de alguma forma que ele falasse contra o governo de Cesar e das leis estabelecidas… Veja a passagem Bíblica: É certo pagar imposto a César ou não? ”
Ele percebeu a astúcia deles e lhes disse: “Mostrem-me um denário. De quem é a imagem e a inscrição que há nele? ” “De César”, responderam eles. Ele lhes disse: “Portanto, dêem a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”. (Lucas 20:22-25) Não é preciso uma exposição aprofundada da hermenêutica e da exegese para entender que Jesus de Nazaré com certeza seria neutro e submisso as leis caso estivesse aqui no Brasil.

Jesus ama o pecador, mas odeia o pecado e jamais tomará o culpado por inocente, jamais vai elogiar um transgressor assassino, ladrão, estuprador e destruidor de famílias!!! Um adolescente que mata premeditadamente, rouba, estupra, perturba a paz da sociedade jamais terá Jesus de Nazaré como um advogado de defesa para seus crimes perante a lei federal. O Apóstolo Paulo deixa uma bela resposta para isso em sua carta aos Romanos:

Todos devem sujeitar-se às autoridades governamentais, pois não há autoridade que não venha de Deus; as autoridades que existem foram por ele estabelecidas. Portanto, aquele que se rebela contra a autoridade está se colocando contra o que Deus instituiu, e aqueles que assim procedem trazem condenação sobre si mesmos. Pois os governantes não devem ser temidos, a não ser pelos que praticam o mal. Você quer viver livre do medo da autoridade? Pratique o bem, e ela o enaltecerá. Pois é serva de Deus para o seu bem. Mas se você praticar o mal, tenha medo, pois ela não porta a espada sem motivo. É serva de Deus, agente da justiça para punir quem pratica o mal. Portanto, é necessário que sejamos submissos às autoridades, não apenas por causa da possibilidade de uma punição, mas também por questão de consciência. É por isso também que vocês pagam imposto, pois as autoridades estão a serviço de Deus, sempre dedicadas a esse trabalho. Dêem a cada um o que lhe é devido: Se imposto, imposto; se tributo, tributo; se temor, temor; se honra, honra. Não devam nada a ninguém, a não ser o amor de uns pelos outros, pois aquele que ama seu próximo tem cumprido a lei. Pois estes mandamentos: “Não adulterarás”, “não matarás”, “não furtarás”, “não cobiçarás”, e qualquer outro mandamento, todos se resumem neste preceito: “Ame o seu próximo como a si mesmo”. O amor não pratica o mal contra o próximo. Portanto, o amor é o cumprimento da lei. Façam isso, compreendendo o tempo em que vivemos. Chegou a hora de vocês despertarem do sono, porque agora a nossa salvação está mais próxima do que quando cremos. A noite está quase acabando; o dia logo vem. Portanto, deixemos de lado as obras das trevas e vistamo-nos a armadura da luz. Comportemo-nos com decência, como quem age à luz do dia, não em orgias e bebedeiras, não em imoralidade sexual e depravação, não em desavença e inveja. Pelo contrário, revistam-se do Senhor Jesus Cristo, e não fiquem premeditando como satisfazer os desejos da carne. Romanos 13:1-14.

Poderia lhe apresentar uma exposição Hermenêutica e Exegética exaustiva sobre o assunto em questão, mas quero limitar-me ao fato de que Jesus de Nazaré também foi um ser social e por isso era submisso as leis governamentais de sua época e por isso jamais seria contra a punição legal de criminosos transvestidos de menores infratores!!!

Finalizando quero dizer que o real objetivo de Jesus de Nazaré era salvar e libertar o ser humano dos seus pecados e por isso Jesus pregava o arrependimento e a conversão como único meio de Salvação… Um assassino pode se arrepender de ter matado milhares, um estuprador pode se regenerar e nascer de novo pelo poder de Jesus, um pedófilo pode ser transformado como também estelionatário, traficante etc. Todos podem ser transformados pelo poder libertador e transformador de Jesus, Ele é a expressão máxima do Amor de Deus:

“Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna”.

O ser humano pode até morrer na cadeia, mas jamais pode morrer sem arrependimento!!! O que preocupa a Jesus de Nazaré não é se essa lei da redução da maioridade vai afetar o Brasil ou não, a preocupação de Jesus é livrar o ser humano da condenação eterna no inferno!

“Jesus nasceu em meio à matança dos inocentes onde Heródes, buscando a sua perpetuação no poder, reduziu a idade penal aos dois anos de idade”

Sério que você quis comparar a punição de criminosos a uma barbárie promovida por um rei local apenas pela perpetuação no poder? O pior é que nem o “operador lógico” utilizado na comparação é o mesmo: no caso da maioridade penal, é “A PARTIR DE” e no caso da matança promovida por Herodes, “ATÉ”.

Considerando que você seja pastor e que você tenha estudado tanto os detalhes da Bíblia, abro mão da hipótese de parvoíce. E má-fé mesmo.

ainda bem que estamos num espaço público e democrático, para a patrulha fariséia vir reverberar a ignorância implantada pelos “Quatro Cavaleiros do Apocalipse Neo Pentecostais” deste país.
Jesus expulsou os Fariseus do templo e voltaria para expulsar esta tropa do “Propriedade de Jesus”.
Ele repetiria o que fez: andaria entre pobres, prostitutas e perdoaria bandidos, mas jamais pisaria em “Novos Templos de Salomão”.
E principalmente diria: ” Deixai vir a mim as criancinhas, pois é delas o reino do céus”…. Não dos exércitos dos “Quatro Cavaleiros do Apocalipse”

Pastor perdoa estes idiotas filhos de Dracon, pois conhecem mais a Lei de Talião do que o Evangelho sobre Jesus Cristo. São tão cegos que acham que política e religião estão separadas, por isso recomendaria que assistissem uma aula de história sobre o período da Cristandade. No mais são os mesmos fariseus de sempre defendendo as suas leis e a cultura de morte.

Como alguém pode dizer categoricamente “O QUE JESUS DIRIA” ? Ainda mais sendo um profissional da fé? Não me parece muito honesto afirmar que o Senhor diria isso ou faria aquilo. No máximo, alguém pode dizer NA MINHA OPINIÃO , Jesus diria isso ou aquilo.
Esse texto não difere daqueles profetas da TV que dizem “Jesus me disse para construir um megatemplo” ou ” Jesus aprovaria a compra desse moderno avião para nosso ministério” . Por favor !
O discurso do perdão cristão não autoriza nem manda que devamos conviver com marginais perigosos. Se não, pregue a abolição das prisões !

Ainda achei de péssimo tom dizer que Jesus “diria” . Como,assim? Ele está morto? O Senhor Jesus que eu conheço está VIVO por toda a eternidade não “diria” , mas sim DIZ !

Herodes reduziu a maior idade penal para 2 anos de idade? NÃO!!!! Herodes decretou uma matança de inocentes. Todas as crianças de dois anos para baixo deveriam ser assassinadas. Até onde eu sei, ninguém está apoiando um decreto para assassinar todos os jovens de 16 anos de idade, mas simplesmente que eles respondam judicialmente, pelos CRIMES VIOLENTOS ( assassinato, estupro …) que cometerem.

O debate está muito polarizado, o que obscurece, ainda mais, o verdadeiro problema;

De um lado é fato que nossas cadeias são lugares de negros e pobres, sobretudo ladrões de galinha. Para além de debatermos o problema da desigualdade, estatísticas mostram que um enorme contingente dos presidiários já deveria ter sido solto ou, no mínimo, recebido julgamento adequado para seus delitos, os quais, diga-se de passagem, são leves, comparados a outros piores.

Se conseguíssemos livrar estas pessoas da injustiça, já teríamos uma redução considerável da população carcerária. Isso também inclui os jovens nas fundações para menores, pois muitos são jovens que cometeram crimes leves, chegando ao furto de alimentos.

A estas pessoas, que se vem presas por roubarem comida, enquanto graúdos vivem solto, deveriam ser aplicadas penas alternativas e educacionais, pois ninguém é à favor do roubo ou da criminalidade, nosso país tem leis,mas não adianta trancafiar ladrão de galinha ao lado de estuprador, pensando que isso irá ressocializar um ser humano.

O outro lado também é verdadeiro: muitos menores cometem crimes hediondos. Neste caso, as penas devem ser mais duras, sim! Que sejam colocados ao lado de adultos que cometem o mesmo tipo de crime. Estatisticamente, o número de presos por crimes hediondos é menor que o número de presos por crimes leves, na fundação casa, por exemplo, o número de internos por crimes graves não passa dos 3%. Assim, acabamos com a sensação de impunidade, com a sensação de terra sem lei, desde que a lei também seja aplicada aos jovens criminosos hediondos brancos e ricos. E separamos uma vasta população carcerária que cometeu crime leve, de uma parcela que cometeu crimes graves.

O QUE DIRIA JESUS A VOCÊ, QUE JULGA A OUTROS QUANDO DIZ:
“Aos líderes religiosos, hipócritas e manipuladores…”

Matança de inocentes é o aborto, esse pastor tá perdido, entrega a credencial de pastor e vai fazer baderna junto com os esquerdistas, porque você é um deles, tenha vergonha, porque eu como pastor me envergonho de você!

Recomendo a a todos a leitura do livro “Pastor, Picareta ou Psicopata? escrito pelo Pr. Glênio Fonseca Paranaguá. Este Levi-ano deve ser um Picareta ou Psicopata que pensa ser pastor.

O assunto da maioridade penal nem deveria estar em pauta. É um poder-dever de cada cidadão ser membro de juri popular nos crimes dolosos contra a vida. Em outros países, ainda mais democráticos do que o nosso, até crimes mais leves vão a juri. Não interessa a idade do criminoso, mas quem tem a atribuição de julgá-lo, inclusive quanto à sua real capacidade. Na legislação militar (sabe, que rege aquele povo que o Estado arma e treina), militares de 15 anos podem ser condenados a até 30 anos de prisão e os de 17 podem ser fuzilados ou enforcados. A questão aí é o perigo que representariam para a sociedade, se não pudessem ser punidos devidamente, em caso de graves transgressões. Tráfico de drogas e terrorismo são delitos tão terríveis para a sociedade e de tal maneira tramados que seus perpetradores, de qualquer idade, deveriam ser submetidos à justiça militar e apenados com o rigor exigido para quem comete atos delitivos coletivos com uso de armamento de fogo, armas brancas, explosivos, drogas de abuso e, pensando em quem vem com ‘historinhas’ tocantes como essas no artigo do ‘pastor’, que procuram acelerar a queda da civilização ocidental, processá-los por apologia ao crime, que é um delito ainda mais grave. Afinal, se esses ‘di menor’ não são imputáveis, são inimputáveis como os loucos. Posso até me apiedar de quem é louco, mas trataria com todo o rigor da lei quem amontoasse pedras para que os loucos jogassem nos outros. Uma agravante seria que o amontoador de pedras fosse, além de adulto responsável por seus atos, ‘líder’ político ou religioso, ou uma mistura infamante dos dois. Esse pastor cheira a enxofre, está fazendo o trabalho do diabo, proclamando heresias. Abram seus olhos : os ‘moderados’ fazem mais mal do que os extremistas, pois estes, por sua conduta, atraem sobre si a imediata resposta ditada pela legítima defesa; aqueles, com sua ‘conversa mole’, nos induzem ao erro e à ruína. Aliás, Cristo disse que receberia nos Céus os quentes e os frios, mas que os mornos seriam vomitados. Então, tomar posições é mais virtuoso do que ficar em cima do muro e simular boas intenções: os Céus estão além do muro, o próprio muro já é o inferno.

Sou cristã evangélica desde a infância e sinto vergonha desses sepulcros caiados que jogam sobre os outros fardos que nem sonham em carregar (como ter uma filha estuprada e morta por um “menor” de 17 anos, que sairá impune). Querem enfiar na cabeça de todos a todo custo que Jesus era socialista, comunista, progressista. Mentira! Mentira! Mentira! E todos sabemos quem é o pai da mentira!!! Padres da teologia da libertação e pastores progressistas, a Igreja de Cristo tem vergonha de vocês!!!

Que mais esperar de um pastor da Igreja Batista de Agua Branca. Ideologia esquerdista, ignorancia biblica, Apostasia na certa. Mas graças a Deus de O Rei Yeschia esta as portas “quando do céu se manifestar o Senhor Jesus com os anjos do seu poder, em chama de fogo, tomando vingança contra os que não conhecem a Deus e contra os que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus. Estes sofrerão penalidade de eterna destruição, banidos da face do Senhor e da glória do seu poder, quando vier para ser glorificado nos seus santos e ser admirado em todos os que creram.” quero ver esses pastores protestarem. !!

Pelas barbas de Abraão!!! Expor “O Sermão da Montanha” — no qual Jesus com uma linguagem de tal forma inspirada e bela, consubstanciou os princípios fundamentais da conduta humana, tal qual Ele preconizava — a um ridículo alvará para qualquer tipo de atrocidades, é uma blasfêmia sem parâmetros para adjetivação. O fato, é que menores estão conscientemente praticando crimes e precisam ser punidos por isso. Ao usar a tática de distorcer as palavras dos adeptos à redução da idade penal, o que o pastor quer é inventar um bode expiatório, para poder bater sem dó nem piedade. Seria isto suficiente para deixar patente a sua má intenção de manipular a realidade.

Contudo o pastor usa, também, o argumento da vingança, na tentativa de igualar aqueles que defendem a punição de menores criminosos à condição de bárbaros que somente desejam ir à desforra contra eles.

O pastor apela para a triste imagem de Jesus na cruz, como dando a entender que o que esses jovens precisam é de perdão e não punição, esquecendo que Jesus não foi punido por ter cometido algum crime, mas sacrificado pelos nossos pecados.

Todavia, o que não ficou entendido, é por que um menino de 17 anos merece perdão e um de 18 não. Será que o pastor não entende que pela sua “lógica” o perdão divino ficou restrito a uma abstração chamada minoridade? Ou será que segundo a “lógica” desse piedoso pastor, ele entende que todos os criminosos devam ser perdoados e não sofram a devida punição legal.

E aonde se aprende, ao ler as Escrituras Sagradas, que apenas a partir dos 18 anos a pessoa está pronta para ser punida criminalmente?

Por fim, quem inventou o limite de maioridade penal? Deus, o Filho de Deus homem ou a politicalha que comanda este país há 21 anos?

Esse cara é pastor? Sai fora, comunista disfarçado de pastor.
Quantos artigos você publicou para defender as quatro adolescentes que foram agredidas por quatro marginais no PIAUÍ? E o médico esfaqueado no Rio de Janeiro? A OAB se manifestou? Você escreveu algum artigo a respeito? E os desempregados, e quem ganha salário mínimo, quantas vezes você os defendeu?
Por que escrevem apenas para defender bandidos. Jesus Cristo nunca defendeu bandidos.
Você pode ser pastor, mas não é pastor evangélico e sim pastor do diabo.
Sai fora, vade retro satanás

1) Já não mereceria qualquer comentário intelectualmente honesto um artigo que compara o ser favorável à redução da maioridade penal ao infanticídio perpetrado por Herodes. Isso é de uma canalhice… enfim. Só para lembrar ao sr. Levi, a ideologia que ele disfarça de cristianismo, a de esquerda, foi o que mais matou não somente crianças, mas adultos e velhos, em TODA A HISTÓRIA. Não sei se ele também, mas seu colega Ariovaldo Ramos babava o ovo de um falecido ditador sulamericano que matou bastante gente. Aí sim a comparação com Herodes começaria a fazer sentido.

2) Quando ele diz que Jesus via as pessoas além de seus pecados, está completamente correto. Ele me viu assim também. Mas, do ponto de vista das consequências humanas e sociais dos erros do indivíduo, Jesus não defendia NINGUÉM. O ladrão da cruz que se arrependeu de seus pecados morreu do mesmo jeito, reconhecendo que merecia a condenação.

3) Sobre a falácia de que a base de cristãos defensores da redução da maioridade penal é o velho testamento, no sentido de que a Lei mosaica é que pegava pesado e que o Novo Testamento deixa tudo mais tranquilo, só passarei aqui um pequeno exemplo de que o sr. Levi ou não conhece bosta nenhuma de bíblia, ou é simplesmente um desonesto intelectual mesmo. ROMANOS 13:1-5. REPETINDO: ROMANOS, APÓSTOLO PAULO, ESCOLHIDO POR JESUS CRISTO, RECONHECIDAMENTE UM VERDADEIRO CRISTÃO, PARECIDO COM CRISTO, TOTALMENTE INFLUENCIADO POR CRISTO, QUE BOTA QUALQUER CRISTÃOZINHO MODERNINHO DO CHINELO, CAPÍTULO 13, VERSOS 1 A 5.

E chega né, porque esta palhaçada progressista não merece mais qualquer acréscimo.

ESSE SEU TEXTO É TÃO RUIM QUANTO AS PRETENSÕES DA ESQUERDA BRASILEIRA, VAI ESTUDAR UM POUCO A HISTORIA AI VOCE VAI DESCOBRIR ALGUMAS CONVICÇÕES QUE JESUS TINHA ENSINADAS POR JOSÉ, ENQUANTO CRIANÇA, É QUE FICA EVIDENTE QUANDO JESUS CHEGA A MAIORIDADE JUDAICA PARA CUMPRIR O QUE LHE CABIA.

CRISTÃO ESQUERDISTA AFFF ESSA CHUTOU MEUS BAGOS.

DETALHE O SERMÃO QUE VOCÊ REFERE AI EM CIMA NÃO FOI DITO PARA ESSE TANTO DE GENTE QUE VOCÊ DIZ.

ESTUDE POR FAVOR ANTES DE ESCREVER AS ASNEIRAS QUE VOCÊ ESCREVEU.

É, lamentável a ignorãncia bíblica deste tal, dito,( “pastor”) Levi Araujo; acerca de nosso Senhor Jesus e as causas da sua morte. primeiro: nos tempos de Jesus havia duas leis em Israel, a lei teocratica advinda do velho testamento, e a lei romana que regulava todo o império,e todas as suas colonias no qual Israel era uma delas. pois bem: para sr. Levi que não sei quem deu a ele este título de “pastor'” aconselho a ele fazer um semestre de estudos bíblicos comigo que ele aprenderá a verdade. Ele aprenderá que Jesus não veio interferir nas leis orgânicas de nenhum país, ele veio apontar para o homem o caminho que era ele próprio. segundo: Jesus, não sofreu as injúrias e os castigos e a própria morte por causas cíveis criminalísticas ou de qualquer espécie de rebeldia ou, atentado a pessoa humana não, JESUS SOFREU TUDO ISSO por causa dos pecados da humanidade no Ãmbito espiritual que é lá que ta todo o problema do homem interior. terceiro: JESUS foi condenado na lei teocrática que julgava crimes e pecados como um todo na lei de Moisés, a lei romana pouco atuou na morte de Cristo e atuou por obrigação do seu dever. quem matou Cristo foi meu pecado e, seu pecado Falso pastor oportunista Levi, e a lei teocrática de Israel, lei, essa que não temos no BRASIL seu ignorante de conhecimento, não cabe inserir Bíblia em aplicação de lei no Brasil. porque o Brasil é um país Laico. não tente ganhar fama, se popularizar com conversa mole não seu herético. Depois não tem nexo vc. tentar passar que estão usando a máxima do velho testamento para aplicar vingança na maioridade penal porque vc. deve ganhar salário de pastor tirado de dízimos que também era uma prática só do velho testamento, que com o novo sacerdócio de CRISTO é ilegal perante o novo testamento.ok! PQ não te callas!

É, lamentável a distorção bíblica deste tal, dito,( “pastor”) Levi Araujo; acerca de nosso Senhor Jesus e as causas da sua morte. primeiro: nos tempos de Jesus havia duas leis em Israel, a lei teocratica advinda do velho testamento, e a lei romana que regulava todo o império,e todas as suas colonias no qual Israel era uma delas. pois bem: para sr. Levi que não sei quem deu a ele este título de “pastor'” aconselho a ele fazer um semestre de estudos bíblicos comigo que ele aprenderá a verdade. Ele aprenderá que Jesus não veio interferir nas leis orgânicas de nenhum país, ele veio apontar para o homem o caminho que era ele próprio. segundo: Jesus, não sofreu as injúrias e os castigos e a própria morte por causas cíveis criminalísticas ou de qualquer espécie de rebeldia ou, atentado a pessoa humana não, JESUS SOFREU TUDO ISSO por causa dos pecados da humanidade no Ãmbito espiritual que é lá que ta todo o problema do homem interior. terceiro: JESUS foi condenado na lei teocrática que julgava crimes e pecados como um todo na lei de Moisés, a lei romana pouco atuou na morte de Cristo e atuou por obrigação do seu dever. quem matou Cristo foi meu pecado e, seu pecado “pastor” oportunista Levi, e a lei teocrática de Israel, lei, essa que não temos no BRASIL, não cabe inserir Bíblia em aplicação de lei no Brasil. porque o Brasil é um país Laico. não tente ganhar fama, se popularizar com conversa mole não seja herético. Depois não tem nexo vc. tentar passar que estão usando a máxima do velho testamento para aplicar vingança na maioridade penal porque vc. deve ganhar salário de pastor tirado de dízimos que também era uma prática só do velho testamento, que com o novo sacerdócio de CRISTO é ilegal perante o novo testamento.

Senhor pastor…
que texto lamentável e vergonhoso!
a Bíblia mãe das heresias?! a heresia surge no momento em que o individuo faz uma interpretação errada do que lê… o problema está em quem a interpreta sem direção alguma do Espirito Santo!
transcrevo aqui parte do seu texto:
“Aos líderes religiosos, hipócritas e manipuladores não faltam textos bíblicos que podem sugerir autorizações a violências, opressões e ações punitivas, por isso que até o estudioso mais noviço sabe que a chave hermenêutica da bíblia sagrada é Jesus e a sua história. Com essa chave de ouro da interpretação bíblica, nós podemos abrir livro a livro e texto a texto sabendo o que pode ou não ser aplicado hoje”
pelo amor de Deus a Bíblia interpreta a si mesma… e se você dá prioridade aos ensinos de Jesus, onde mais acharia embasamentos para falar da vida dEle? e não se esqueça: Jesus veio para cumprir a Lei… e em momento algum se vê Jesus agindo de forma contraria à Lei dada por Deus. esse livro que o senhor chama de ‘mae das heresias’ explicita a encarnação do Filho e sua morte redentora, bem como as profecias acerca de seu nascimento… logo dissociar a vida de Jesus da Biblia é no minimo ilogico e sem fundamento algum
o que mais se vê hoje são pessoas usando a Bíblia como pretexto para os seus desejos ou opinioes. Extraem dela apenas o que massageia o proprio ego… o senhor como pastor cristão deveria rever os seus conceitos
e também pense: Jesus em momento algum infrigiu a lei do homem
se querem seguir o exemplo dEle então não deixem de observar que ele censurou escribas e fariseus que apenas tinham a aparencia de bem mas o conteudo era podre… e expulsou os mercadores que faziam do Templo comercio. se querem seguir o exemplo dEle hoje entao ensinem aos nossos jovens que o caminho é estreito, que matar, roubar, etc. é pecado. e que o destino de assassinos é o inferno caso não venham a se arrepender… e ensinar isso em uma igreja é de fundamental importancia. isso não é pregar vingança. é pregar a verdade. e é isso que está faltando em muitos meios ditos cristãos
chega de líderes espirituais ensinando um evangelho só de “amor é tudo”. sabemos bem que o amor é importante, mas também sabemos a correção justa educa, e passar a mao na cabeça é deixar o outro caminhar a passos largos para o fim do poço

Afirma-se todos os dias que a redução da maioridade penal não acabaria com o problema da delinquência praticada pelos menores de idade. Jura-se, com estatísticas em mãos, que o número desses transgressores mirins, em comparação com o total de marginais, é insignificante. Mas a lei, em algum país do mundo, de um modo geral, resolve o problema da delinquência praticada pelos adultos? Se na Áustria, por exemplo, um único indivíduo cometesse um crime em 100 anos, os austríacos de boa índole deveriam desistir das leis, por causa de sua incapacidade de extirpar esse único crime? Que facilidade, para um discursador, perdoar a agressão hipotética, difusa, que não ameace sua vida nem patrimônio! É a moral dos que não têm nada a perder. O seguro que esse discursador paga para ter alguma garantia de seu automóvel resolve o problema do furto de automóveis? O alarme, as travas elétricas, os rastreadores, o insulfilme, a blindagem, os bloqueadores de combustíveis e de eletricidade etc. podem trazer alguma segurança definitiva ou mesmo provisória? Perdoar a ofensa pessoal recebida é uma coisa. Aparentemente que, para perdoar de antemão o furtador de seu veículo, abrindo mão do seguro, é preciso ter um coração celeste. Por que pessoas que raciocinam perfeitamente bem sobre seus interesses pessoais, como IPTU, IPVA, seguro patrimonial, seguro-desemprego, herança, FGTS, rescisão contratual, aposentadoria, indenizações gerais, bens móveis & imóveis etc., em todo o restante se contentam com palavras? É que vai distância da boca à bolsa. Depois de ter posto em paralelo os interesses patrimoniais pessoais e os interesses patrimoniais coletivos & difusos, citar Maquiavel torna-se indispensável: «O homem esquece mais facilmente a morte do pai e da mãe do que a perda do patrimônio».

Lamentável. Eu tentei, tentei mesmo, ler com imparcialidade, elemento fundamental para interpretação de um texto.
É muito comum pegar trechos bíblicos sem contexto e gerar pretexto:
Contexto: três condenados por crimes contra o estado, contra o capital e contra a vida.
Um dos condenados clama a Cristo, e este lhe promete o paraíso, em face do arrependimento verdadeiro, da noção de quem era Aquele que estava ao seu lado.
Alguém desceu da Cruz? A Cruz foi até o final, a morte. Cristo pede perdão pela humanidade:porque matavam o Filho de Deus ou porque estavam aplicando uma lei severa demais contra os outros dois? A sociedade pediu Barrabás, onde está a justiça nisso, seria sobre isso também o pedido de perdão?
————————————————————————————————————————————————————–
Sermão da montanha para movimentos sociais de esquerda:
Eu entendo mais como um povo cansado da labuta debaixo do dominio estatal romano, e do cerceamento das liberdades debaixo desse jugo.
Mas a elite continuava como elite, e os pobres, pobres!
Nesse cenário a liberdade é algo desejavel. Porém Cristo propos a liberdade espiritual, não politica. O regime continuaria, o poder continuaria a ser exercido pelo séquito romano, de acordo com a elite politica judaica da época.
Mas uma coisa chama atenção: por que um estado se viraria vigorosamente para atentar contra a vida de um agitador social de uma localidade que em tese, me corrijam os professores de história, não tinha uma participação assim tão ativa no cenário econômico da época?
A revolução que a igreja verdadeira pode proporcionar é tamanha que não pode nem vai passar despercebida.
Ser contra a lei da redução da maioridade penal exige uma contra-partida:
-amor….só amor? vem cá que te dou um abraço? e a caridade? o dispor dos bens para o próximo, lembrando que o mesmo Paulo exorta sobre as relações trabalhistas, e para que ninguém fique sem trabalhar para não pesar sobre os outros, Deus não invalidaria sua lei em favor de ninguém!
A igreja, essa nação dita cristã, pode sim, dentro da lei, seguindo a lei do amor, transformar o mundo, sem se embaraçar com ele. Possível é, senão não seria dito: transformai-vos pela renovação do espírito que há em vós.
A redução ou ampliação da maioridade penal requerem um Estado participativo no sentido de promover justiça social através não de ações de caridade, isso é papel da sociedade, mas permitindo e regulamentando o que lhe é devido: como são aplicados os impostos, esclarecendo seu destino, levando a sociedade ao debate sem interlocutores de araque, e sim que cada cidadão saiba, com efeito, seus direitos e deveres, sem ingerência desse mesmo Estado, que na realidade deve sim ser sociedade se auto regulamentando, posto que os eleitos são do povo para o povo, e não cometendo autofagia, governando para si mesmos, pois dessa forma onde vai parar, senão no fim de si mesmo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code