Categorias
Sem categoria

Ocupação no Jardim São José, em Poá

Novamente podemos observar a aberrante forma com a qual são tratados os munícipes, na cidade de Poá. Há um grave problema social nesta humilde cidade da grande São Paulo: a falta de moradias. Não vemos, contudo, ação concreta por parte do prefeito Roberto Marques no sentido de dar melhores condições de vida aos cidadãos e, principalmente, cumprir com seu dever: promover o direito constitucional à moradia.

Observa-se, diante desse caso no Jardim São José, que o prefeito age com total desrespeito à necessitada população. O textos oficiais, publicados no sítio da prefeitura, são provas disso. Em publicação do dia 04/01/08, é clara a tentativa de denegrir os moradores. Informaram que houve manifestação de “alguns moradores” quando na verdade foram dezenas. Disseram que as crianças do grupo pararam o trânsito de forma violenta. Seria possível os pequenos filhos dos trabalhadores fazerem isso, mesmo diante da escolta da polícia militar???

O prefeito, como em todas as ocasiões que envolve o povo, não atendeu. Formou uma comissão de secretários. Por que será que ele não atende o povo??? A prefeitura é inerte nessa ação. A única atitude foi denunciar os ocupantes para os proprietários da terra, mostrando claramente para qual lado apoia.

No texto, a prefeitura diz tentar encontrar uma solução para estes trabalhadores. Mentira. Não vemos nenhuma ação concreta até o momento. Diz que não recebeu cadastro dos ocupantes. Por que então não entrou no terreno e fez o cadastro??? Para concluir, o texto mostra como é sua ideologia. Disse que os moradores “invadiram” o paço municipal. O prefeito Roberto Marques se acha dono da prefeitura. Os cidadãos têm direito de entrar na prefeitura, mas ele trata como invasores. Percebemos, mais uma vez, o quanto são desrespeitados os cidadãos nessa cidade, principalmente pelos atuais governantes.

Leandro Gomes
Psol/Poá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code