Categorias
Genocídio Negro

Seminário sobre Genocídio Negro prepara Marcha do dia 22 de Agosto

EstadoMATA

Por Douglas Belchior

Em todo Brasil, em grande parte das capitais dos Estados incluindo São Paulo, Salvador, Rio de Janeiro, Vitória, Belo Horizonte e Porto Alegre, negras e negros, autônomos e independentes estão a todo vapor organizando a II Marcha Nacional Contra o Genocídio do Povo Negro.

A partir da Bahia, a resistência organizada pelo Quilombo X e pela campanha Reaja contagiou organizações negras em todo país e o resultado é a construção de um grande momento de mobilização negra que culminará na II Marcha Nacional Contra o Genocídio do Povo Negro, no próximo dia 22 de Agosto.

Em São Paulo, a luta contra o genocídio negro protagonizada pela Uneafro-Brasil, MNU, Circulo Palmarino, NCN-USP, Levante Popular da Juventude, Mães de Maio, Quilombagem, Força Ativa, Posse Haussa, entre outros, já alcançou importantes resultados, como o Fim dos Autos de Resistência no Estado, mas ainda assim a violência policial e o índice de assassinados promovidos pelo aparato militar só aumenta.

Para se ter uma ideia, só em São Paulo, de 2002 para 2011 houve um aumento de 24% de morte de jovens negros, um crescimento de 11.321 para 13.405. Com esse diferencial, a vitimização de jovens negros passa de 71,6% em 2002 para 237,4%. A violência nos três primeiros meses de 2014 em comparação a 2013 apresentaram um aumento de 206,9% do número de pessoas mortas por policiais em serviço. O aumento sistemático de extermínios é uma das faces do genocídio do qual falamos.

Neste próximo Domingo, dia 17/08, essas organizações promoverão o Seminário Contra o Genocídio do Povo Negro, com a presença de especialistas, intelectuais e militantes de movimentos sociais e do movimento negro. Para quem se preocupa com a guerra cotidiana que vivemos, vale a pena participar:

Seminário Contra o Genocídio do Povo Negro

Domingo | 17 de Agosto | a partir das 09h00

Local: Sintaema – Sindicato dos Trabalhadores da Água e Meio Ambiente de SP.

Próximo ao Metrô Armênia (saída para Rua Eduardo Chaves, posto de gasolina de esquina).

Programação:

Mesa – RACISMO, CAPITALISMO E LUTA DE CLASSES (9h às 12h)

Gevanilda Santos – organização Soweto/ CONEN
Weber L. Góes – professor, graduado em História (Fundação Santo André).


Almoço (12h às 13h30)


Mesa – VIOLÊNCIA DE ESTADO CONTRA A MULHER NEGRA (13h30 às 15h30)

Patrícia Chaves – Levante Popular da Juventude
Bia Sankofa – Força Ativa


GRUPOS DE DEBATE (15h30 às 17h30)

-Violência contra mulher negra 
-Violência Policial e Encarceramento em Massa 
-Direito à Moradia 
-Homofobia e Racismo: violência contra Afro-Lgbt
-Violência Institucional


SARAU CONTRA O GENOCÍDIO (à partir das 17h30)

Intervenção Cultural com microfone aberto.

Haverá espaço Lúdico para crianças com atividades pedagógicas durante o Seminário

Voluntá[email protected] serão bem [email protected]

 

 

2 respostas em “Seminário sobre Genocídio Negro prepara Marcha do dia 22 de Agosto”

Falou dizer que boa parte do “genocídio negro” é causado por negros. Se temos 80000 mortos por ano devido a criminosos é um absurdo criticar 0,5% deste numero que possui relação com a polícia, vão fazer passeatas para o resto da vida o problema é outro e vcs não são capazes de ver isso.

Isso tudo acontece, por um motivo muito simples, infelizmente a comunidade negra no Brasil é muito desunida, só agora que muitos tomaram consciência de sua força.
Exemplos não faltam, quantos negros apoiaram Maluf, ACM e ainda votam no partido que governa o Estado de SP durante 20 anos, fora que muitos ainda escolhem certos políticos religiosos, com preconceitos de homofobia, racismo e sem qualquer vínculo com a com a causa negra, por isso se o negro quiser mudanças, tem que ser primeiro com o seu voto, elegendo políticos ligados as causas sociais, que no futuro terão que mudar o sistema político racista vigente no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code